Política

26/11/2018 às 15h27

Há provas consubstanciadas sobre desvio de dinheiro do matadouro de Lagarto, entende MP

Redação Portal A8

O promotor de justiça Antônio César Leite afirmou que há provas consubstanciadas de que ocorreu desvio de dinheiro no matadouro de Lagarto e, por essa razão, resultou na decisão do desembargador Roberto Porto sobre o afastamento do prefeito Valmir Monteiro (PSC) e secretários dos respectivos cargos. A assertiva foi feita durante entrevista no programa Balanço Geral Sergipe desta segunda-feira (26) que detalhou a ação movida pelo Ministério Público Estadual (MP).

De acordo com o promotor, as provas estão concretas. “Não só no depoimento dos envolvidos. Os secretários confirmam que nunca foi arrecadado nenhum imposto. Pegamos as provas coletadas da Emdagro, onde apontaram que o abate de Lagarto girava em torno de 1.800 a 2 mil bois por mês”, disse.

O promotor Antônio César Leite acrescentou ainda que o valor do desvio chegou em torno de R$ 1,4 milhão. Inclusive, sobre o tema, o membro do MP acrescentou que o cenário é mais grave que o de Itabaiana – que resultou na prisão do prefeito Valmir de Francisquinho (PR).

Ainda na entrevista, o promotor contou que a decisão prevê o afastamento por seis meses ou quando terminar o processo com todas as provas.

Confira o material completo do Balanço Geral Sergipe: