Educação

Três professores da UFS estão na lista dos cientistas mais influentes do mundo

Eles são do departamento de Fisiologia, Farmácia e de Psicologia.

Por ascom UFS 20/11/2020 15h06
Três professores da UFS estão na lista dos cientistas mais influentes do mundo
Assessoria de comunicação

Três professores da Universidade Federal de Sergipe (UFS) estão na lista dos 100 mil cientistas mais influentes do mundo. Adriano Antunes Araújo, Lucindo José Quintans Jr e André Faro Santos aparecem entre os 853 pesquisadores brasileiros que compõem o ranking. O levantamento da Universidade de Stanford (EUA) foi publicado no último dia 16 de outubro no Journal Plos Biology, considerando os impactos científicos em número de citações.

O levantamento, através de métricas de citação, apresenta dois rankings: carreira, em que avalia os impactos de pesquisas realizadas ao longo da trajetória do cientista, e dados do último ano, ou seja, os destaques científicos de 2019. Os pesquisadores da UFS se classificaram na avaliação do impacto científico alcançado ano passado.

Para Adriano Antunes, aparecer no ranking formado por um grupo seleto de pesquisadores é bastante significativo para a carreira acadêmica. “Você vê que da UFS, onde temos mais de 1.500 professores, apenas três entraram nessa lista, que é um ranking global”. Ele ainda afirma que o mérito da conquista é “pouco nosso e muito mais dos alunos que se envolvem nos projetos e conseguem realizar boas pesquisas”.

Antunes atribui a classificação da UFS no ranking a três fatores: a busca por parceria interna e externa à instituição, a capacidade de engajar e motivar alunos da graduação e pós-graduação nas pesquisas e desenvolvimento de projetos com foco inovador.

O professor Lucindo Quintans destaca que o resultado da avaliação é reflexo do avanço da produção científica da Universidade Federal de Sergipe nos últimos anos.

“No final do ano passado, a UFS foi eleita como a universidade brasileira com maior impacto na produção científica na área da ciência da saúde. Todos esses dados conversam entre si e mostram a solidez da pesquisa que a Universidade tem produzido em duas áreas muito importantes, como na área da ciência da saúde e nas humanidades, entre outras áreas que a UFS vem se destacando", complementa.

O professor André Faro afirma que a participação no ranking traz visibilidade para o conhecimento científico produzido pela UFS ao longo dos anos e para o Nordeste, que pode ser considerada uma região de referência no desenvolvimento da ciência, além das áreas de humanas com ênfase na saúde, em especial, a de psicologia.

“Penso que a importância desse resultado se dá em termos de reconhecimento do nosso trabalho, pois o fruto da produção científica nem sempre é imediato e leva algum tempo até que atinja o seu fim, que é trazer alguma contribuição significativa para a sociedade de maneira geral”, destaca o pesquisador.

O desenvolvimento de pesquisas científicas de impacto nacional e internacional coloca a Universidade Federal de Sergipe entre as principais instituições de ensino superior do país.