Investimento

Sergipe sedia um dos 20 campos de petróleo e gás mais promissores do mundo, aponta relatório

Exploração em águas ultraprofundas da Bacia Sergipe-Alagoas é destaque segundo empresa global de consultoria

Por ASN 16/01/2021 11h20
Sergipe sedia um dos 20 campos de petróleo e gás mais promissores do mundo, aponta relatório
ASN

A exploração de alto impacto de petróleo e gás no território sergipano, através das ações da ExxonMobil na Bacia Sergipe-Alagoas (SE-AL), foi reconhecida como uma das 20 campanhas mais promissoras do segmento em todo o mundo para 2021. A informação foi divulgada em relatório da Westwood Global Energy Group, empresa global focada em consultoria e pesquisa na área de energia, e divulgada pela imprensa especializada nacional e internacional.

O relatório, que lista os poços que devem atrair a atenção do mercado internacional durante o ano, menciona apenas uma outra campanha exploratória de destaque no Brasil, localizada na Bacia de Campos. Em Sergipe, o consórcio ExxonMobil/Enauta/Murphy é detentor de nove concessões de exploração na área da Bacia SE-AL, adquiridas nos últimos três anos.

A publicação ainda aponta as Américas como principal região de projeção exploratória de P&G em 2021, registrando a presença das operações offshore no Brasil nesta tendência. Outro dado apresentado pela consultoria é a presença da ExxonMobil como uma das três maiores exploradoras de alto impacto ativas em 2021.

De acordo com o secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico, da Ciência e Tecnologia, José Augusto Carvalho, o destaque internacional é uma confirmação das boas expectativas para Sergipe no segmento de petróleo e gás.

“Reconhecimentos deste tipo, apresentados por uma empresa de renome e impacto internacional, fazem com que o olhar de todo o mundo se volte a Sergipe, elevando o estado à posição de importante player mundial. É um aporte em visibilidade que, em médio prazo, deve se transformar também em aporte econômico, gerando investimentos para o estado que devem partir de dentro e de fora do Brasil”, afirma.