Sergipe

Secretarias comprovam que acusações do Sintese são improcedentes

Entre os 23 bancos notificados pela PMA, três reincidiram no descumprimento da lei, sendo multados em R$ 1 mil (no caso da primeira advertência) ou R$ 2 mil (para a segunda reincidência. Algumas agências já estão chegando bem perto da sexta infração, que resulta no fechamento.

30/09/2015 19h07
Secretarias comprovam que acusações do Sintese são improcedentes
A8SE

As Secretarias de Estado da Educação (Seed) e da Administração (Sead) informam que as denúncias do Sindicato dos Trabalhadores em Educação Básica da Rede Oficial do Estado de Sergipe (Sintese) com relação à folha de pagamento do magistério estadual são improcedentes.

A Seed e a Sead esclarecem que, em relação à diferença de valores na folha dos professores, foi informado em reunião com o Sintese que os dados fornecidos referiam-se a folha bruta, sem encargos, e nos dados enviados ao Tribunal de Contas estão inseridos os encargos, o que explica a diferença de valores. Os encargos são 20% de Previdência e 4% de Ipesaúde (para os que possuem). Assim, não há discrepância nenhuma quando o custo é inserido.

Em sua denúncia, o Sintese especula sobre a diferença de R$ 7.226.237,67, entre as folhas apresentadas pela Administração e Educação. As duas pastas reforçam que a diferença consiste no fato da Administração ter apresentado ao sindicato a folha líquida e a Educação a folha bruta do pagamento dos professores.

A Secretaria da Administração esclarece ainda que não forneceu ao Sintese nenhuma informação a respeito dos servidores administrativos. Todas as tabelas fornecidas referem-se ao Magistério. Portanto, não procede a notícia que a Sead informou que R$ 526.067,91 haviam sido gastos com servidores administrativos.

Fonte: ASN

 

Tags: