Atualização

Procuradoria Geral do Estado instaura processo para investigar vacinação do prefeito de Itabi

19/01/2021 18h52
Procuradoria  Geral do Estado instaura processo para investigar vacinação do prefeito de Itabi
Christiano Cruz

Após a repercussão na imprensa do caso do prefeito de Itabi, Júnior de Amynthas, que tomou a vacina mesmo não sendo do grupo prioritário, a Procuradoria Geral do Estado (PGE) apresentou, junto ao Ministério Público, Representação para apuração de possível ilícito penal e ato de improbidade administrativa.

O prefeito tem 46 anos de idade e não se encaixa nos critérios previsto no Plano Nacional de Vacinação (PNI) e no Plano Estadual de Vacinação (PEV) mas, segundo nota da prefeitura, foi "um ato de demonstração de segurança, legitimidade e eficácia da vacina, para incentivar a população itabiense a vacinar-se, tendo em vista os receios existentes a esse respeito".

"Os planos de vacinação seguem a lógica de proteção à saúde humana e estratégia de entretanto à doença, com prioridade fixada para, de um lado, proteger os mais sensíveis e, de outro, resguardar os profissionais que atuam na linha de frente. Quando nos deparamos com a situação narrada, da odiosa figura do "fura-fila", caso confirmada, não se estimula apenas a transgressão, mas reforça uma agressão moral à toda sociedade que deve ser duramente reprimida", comentou o Procurador Geral do Estado Vinicius Oliveira.

Segundo informações do PGE, caberá ao Ministério Público dar prosseguimento aos tramites penais e administrativos para apuração da conduta, informando o Governo do Estado que permanecera vigilante para correta aplicação do plano de vacinação contra o novo coronavirus.

Confira mais detalhes do caso, clicando aqui.