Sergipe

Presidente do IBAMA visita escritório em Aracaju

30/09/2015 19h07
Presidente do IBAMA visita escritório em Aracaju
A8SE

O presidente do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA), Roberto Messias Franco, esteve em Aracaju na manhã desta quinta-feira (2) para em companhia do secretário de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Semarh) Márcio Macedo, visitar o local onde será instalado o Escritório de Licença de Petróleo e Gás.

A ser instalado no terceiro andar do IBAMA de Aracaju, atenderá todo o norte e nordeste do país proporcionando agilidade no processo de licenciamento e de melhor acompanhamento no monitoramento da extração de gás e petróleo.

De acordo com o superintendente do IBAMA, Manoel Rezende, o escritório deverá entrar em funcionamento ainda este mês. Para tanto, a instituição deve contar com 35 funcionários, sendo 25 técnicos especialistas de áreas distintas.

O presidente do IBAMA, Roberto Franco, acredita que com o escritório em Sergipe, haverá um desafogamento das licenças em nível de Brasil. "O IBAMA emite hoje em todo o Brasil cerca de 100 licenças ao ano. É um número frágil tendo em vista a quantidade de processos que estão na fila para serem atendidos unicamente na sede do Rio de Janeiro, que serve a todo o país. Com o escritório em Sergipe, que atenderá a duas importantes regiões, a agilidade na emissão da licença será garantida", assegura o presidente, enfatizando que recebeu do Governo do Estado e da Semarh todo o apoio necessário para este fim.

Para o secretário da Semarh, Márcio Macêdo, o escritório em Sergipe trará consigo duas importantes considerações. "Teremos a garantia do rigor ambiental e no processo de licenciamento, tendo em vista o melhor acompanhamento da equipe técnica do IBAMA nas operações", considera Márcio, enfatizando que o escritório é de fundamental importância para o desenvolvimento do Estado e da região por agilizar a emissão da licença de Sergipe e no norte nordeste como um todo.

Segundo Manoel Rezende, a descentralização do escritório nacional para um específico das regiões norte e nordeste será um acontecimento notório para o empreendedor, visto que o procedimento da própria licença em si já demanda tempo e ainda com a existência da fila de espera tudo tendia a demorar ainda mais. "Além do ganho de tempo para as regiões norte e nordeste, que já é algo inquestionável, entendo que o trabalho de monitoramento será algo que o Ibama fará com mais precisão, uma vez que estaremos muito mais próximos dessas empresas", aponta Resende.

Com informações da ASN

Tags: