Alerta

Número de acidentes envolvendo escorpiões cresce 28,2% em Aracaju

Por redação Portal A8SE e PMA 13/05/2022 15h03
Número de acidentes envolvendo escorpiões cresce 28,2% em Aracaju
Foto: Divulgação Ministério da Saúde

Um levantamento feito pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Aracaju mostrou que o número de acidentes por escorpiões aumentou 28,2% nos primeiros quatro meses deste ano, em comparação com o mesmo período em 2021.

Para se ter uma ideia, no ano passado foram registrados 198 acidentes por escorpião, já este ano foram 254. O supervisor de endemias do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), José Bonfim Oliveira, alerta sobre o período chuvoso e a maior probabilidade de animais peçonhentos como aranhas, cobras e escorpiões se abrigarem em locais escuros e aquecidos, como armários, frestas de paredes ou até mesmo calçados. 

“Muitos acidentes são registrados em situações rotineiras, manuseando gavetas, caixas, no uso de calçados ou até mesmo ao trocar de roupas. No caso do escorpião, ele não se alimenta de sangue humano, e sua picada se dá como um mecanismo de defesa. Quando isso ocorrer, a orientação é que a pessoa busque atendimento na rede de urgência”, explica José.

Ainda, o supervisor orienta que, caso seja possível, o animal seja capturado para análise. “A pessoa deve colocá-lo num frasco e levá-lo quando buscar atendimento médico. Esse animal será encaminhado para o CCZ para que possamos fazer o monitoramento das espécies”, ressalta.

Segundo José, a população também pode contribuir na prevenção da aparição de animais peçonhentos, evitando o acúmulo de lixo e entulho e cuidar da limpeza das casas e quintais constantemente. "Outra orientação importante é colocar telas em ralos e bueiros, pois elas ajudam a afastar não apenas o escorpião, mas outros animais peçonhentos e evitar outras doenças”, completa Bonfim. 

As pessoas residentes de Aracaju que identificarem a presença de escorpiões ou a propagação de outros animais peçonhentos podem entrar em contato com o Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) pelo telefone (79) 3179-3565.