Informe Publicitário

Modelo Acadêmico aprimora compromisso do Grupo Tiradentes com a qualidade do ensino

O Modelo Acadêmico Tiradentes visa estimular o desenvolvimento das práticas acadêmicas fomentando o protagonismo dos alunos em suas jornadas acadêmicas.

Por assessoria de comunicação 25/05/2022 19h00
Modelo Acadêmico aprimora compromisso do Grupo Tiradentes com a qualidade do ensino
Espaço de aprendizagem da Unit Sergipe, incorporada à plataforma Google for Education: referência internacional (Acervo/Grupo Tiradentes)

Um dos princípios que regem o Grupo Tiradentes é a formação de cidadãos globais, socialmente responsáveis e competentes para tomar decisões, resolver problemas e propor soluções, usando as modernas tecnologias e desenvolvendo habilidades como comunicação, liderança, criatividade, segurança e disposição para o aprendizado. Neste sentido, e em sintonia com as atuais demandas da sociedade, as instituições de ensino superior mantidas pelo Grupo em Sergipe, Alagoas e Pernambuco adotaram o Modelo Acadêmico Tiradentes (MAT), no qual o objetivo central dos processos formativos está nas aprendizagens e no protagonismo dos estudantes. 

Esse modelo é definido como “um conjunto de princípios pedagógicos alicerçados no aprimoramento da prática” e “concebido como um sistema aberto e integrador que deve ser aplicado nos processos de planejamento, execução e gestão acadêmica” das instituições, com a finalidade de garantir o padrão de qualidade acadêmica. O MAT está firmado em quatro Pilares Educacionais: Gestão da Aprendizagem, Modelagem Curricular, Formação Continuada Docente e Monitoramento de Indicadores Acadêmicos.

A qualidade de ensino definida pelo MAT é evidenciada em vários atributos de valor conferidos pelo público interno e pela sociedade, cujos padrões devem ser seguidos, garantidos e mantidos em todas as instituições do Grupo, com foco na melhoria contínua dos resultados acadêmicos, mantendo um posicionamento de diferenciação da qualidade do serviço educacional prestado. Entre os atributos que agregam mais valor ao modelo acadêmico do Grupo, estão a educação baseada em competências, o foco na aprendizagem dos estudantes; os espaços de aprendizagem flexíveis, a integração das atividades de pesquisa, ensino e extensão no ensino; a cultura digital, a internacionalização e o reconhecimento do mercado de trabalho. 

A diretora de Planejamento e Qualidade Acadêmica do Grupo Tiradentes, professora Paloma Modesto, explica que a formatação e desenvolvimento do MAT era um processo que já estava em curso, mas acabou acelerado pelos desdobramentos da pandemia do coronavírus, “Há muitos anos, as Instituições do Grupo Tiradentes vêm implantando projetos acadêmicos forjados em concepções de desenho curricular e correspondente formação continuada docente, de modo a proporcionar aos estudantes capacitação para o mundo do trabalho, geração de conhecimento e formação socialmente e ambientalmente responsáveis”, afirma. 

Investimentos em qualidade

O Modelo Acadêmico Tiradentes exige processos rigorosos e permanentes. As aulas precisam ser bem estruturadas e partirem de situações que promovam a aprendizagem, a motivação e a avaliação. Ao lado disso, outras ações contribuem para a garantia dos padrões de qualidade acadêmica e do modelo de ensino que desenvolve a autonomia do estudante, como: investimentos maiores em tecnologia, plano acadêmico posto em prática com fundamentos do MAT e atuação focada e permanente dos NDD (núcleos de desenvolvimento docente), através da criação do Plano de Formação Docente na Era Digital, acessível a todos os professores do Grupo.

O Programa de Gestão da Aprendizagem, eleito como um dos pilares do MAT, visa facilitar o alcance de metas e objetivos de aprendizagem, que é o principal indicador das instituições de ensino. “Dessa forma, o Grupo Tiradentes busca, com um modelo de gestão, monitorar a aprendizagem de seus estudantes, desde o ingresso na universidade. Nossos alunos passam por avaliações diagnósticas para identificarmos seus perfis e assim oferecer uma gama de atividades, para que eles possam superar as suas dificuldades, suprindo lacunas de aprendizagem que eles trazem do ensino médio”, enfatizou a professora Jane Luci Freire Ornelas, gerente de inovação e qualidade acadêmica do Grupo Tiradentes

Para a professora Paloma, a educação do presente e do futuro segue um caminho sem volta de aceleração no uso de tecnologia, digitalização e novas formas de trabalho. Segundo ela, espera-se um crescimento ainda maior na adoção e adaptação de tecnologias digitais e novos modelos de ensino (presencial, híbrido e online), incorporando, nestes modelos, a inovação e a criatividade para melhorar os resultados de aprendizagem. 

“Além disso, nunca foi tão importante fortalecer os serviços para dar suporte aos estudantes, estimulando, inspirando e dando respaldo em suas carreiras e projetos de vida. Da mesma forma com os professores, que precisam do apoio das instituições de ensino superior para aprender a usar estratégias de ensino diversificadas, recursos digitais e a acompanhar a aprendizagem dos estudantes. Outro aspecto é a comprovação inquestionável da relevância social das instituições, como elas estão interconectadas com a sociedade e podem contribuir cada vez mais na solução de problemas, aumentando sua participação para os avanços socioeconômicos do País”, destaca a diretora. 

{{value.image}}
Sede da Faculdade São Luís de França (FSLF), em Aracaju, incorporada ao Grupo Tiradentes em 2015 (Acervo/Grupo Tiradentes)

Qualidade acadêmica e sucesso de egressos

A trajetória de sucesso dos egressos também diz muito sobre a qualidade acadêmica do Grupo Tiradentes no Nordeste brasileiro. Ao longo de seus 60 anos, os cursos voltados às áreas da saúde celebram mais de duas décadas qualificando profissionais, os quais se tornam referência no mercado de trabalho em Sergipe, Alagoas e Pernambuco. Já na primeira turma de formandos em Medicina, o índice de aprovados em residências médicas pelo país chegou a praticamente 80%. Hoje, 12 anos após o primeiro vestibular, a média se mantém.

{{value.image}}
Aula prática dos cursos de Medicina da Unit: metodologia de ensino adaptada ao dia-a-dia da profissão (Acervo/Grupo Tiradentes)

O protagonismo na oferta de cursos de qualidade no Nordeste é fruto de investimentos em um modelo educacional voltado à formação generalista e humanista, aplicado em cinco escolas médicas mantidas pelo grupo: as da Unit Sergipe, nos municípios de Aracaju e Estância; a da Unit Alagoas, em Maceió; e as das Faculdades Tiradentes (Fits) de Goiana e Jaboatão dos Guararapes, em Pernambuco. 

“De forma inovadora na região, as escolas médicas do Grupo Tiradentes utilizam o método PBL (Problem Based Learning ou Aprendizagem Baseada em Problemas), aplicado em diversas instituições de ensino superior ao redor do mundo, inclusive, na Escola Médica de Harvard. Desde o primeiro ano de curso os acadêmicos estão em Unidades Básicas de Saúde (UBS) com rotinas mais intensas do que em faculdades com método tradicional. Isso motiva e estimula a criatividade do estudante, promove o conhecimento sobre diferentes áreas médicas, garante a vivência da medicina na prática desde o início da graduação”, explica o gerente de operações acadêmicas em Saúde do Grupo Tiradentes, Rodolfo Prado.