Confusão

Homem acusa donos de um bar em Aracaju de racismo e homofobia

O caso ganhou destaque nas redes sociais nesse final de semana, após as publicações dos vídeos dos envolvidos contando as versões dos fatos

26/10/2020 11h36
Homem acusa donos de um bar em Aracaju de racismo e homofobia
Arquivo Pessoal

Nesse sábado (24), aconteceu uma confusão em um bar localizado no Conjunto Bugio, na zona oeste de Aracaju. O jovem Ricardo Júnior, de 26 anos, acusa o proprietário do estabelecimento de racismo e homofobia. O caso ganhou destaque nas redes sociais nesse final de semana, após as publicações dos vídeos dos envolvidos contando suas versões dos fatos.

A confusão ocorreu entre o cliente, Ricardo Júnior, e os proprietários do bar, identificados como Thiago e Ítalo. Segundo Ricardo, tudo começou depois que ele questionou erros na conta. O dono do bar o chamou para o balcão e Ricardo continuou falando que não pagaria por algo que não havia consumido. Ele contou ainda que quando resolveu pagar a conta, foi ofendido verbalmente pelo proprietário, conforme explica no vídeo.

Ricardo ressaltou também que o proprietário do estabelecimento comercial estava nervoso e agressivo, e que chegou a expor a situação da confusão da conta para outros clientes do bar através do microfone. Ricardo Júnior tentou se defender e, na tentativa de tomar o microfone para falar, foi surpreendido com uma pancada, daí ele desmaiou. Sobre o corte nas mãos ele afirma que não lembra o exato momento que aconteceu e talvez tenha ocorrido no momento da agressão.

Os donos do bar também publicaram um vídeo nas redes sociais, onde contradizem a versão de Ricardo. Eles alegam que não xingaram e nem agrediram o cliente, e muito menos fizeram ofensas racistas e homofóbicas. Quanto aos ferimentos, Thiago e Ítalo contam que Ricardo se feriu quando tentou jogar uma garrafa de cerveja no estabelecimento. Os proprietários explicam, que nesse momento, clientes que estavam no bar foram contê-lo, ele correu, acabou caindo no chão e bateu a cabeça. Confira no vídeo a versão dos donos do bar:

Na manhã dessa segunda-feira (26), Ricardo Júnior foi ouvido no Departamento de Atendimento a Grupos Vulneráveis (DAGV) e o caso segue sendo investigado.