Covid-19

Edvaldo anuncia aumento da frota de ônibus e testagem em massa

Por informações PMA 05/03/2021 17h34
Edvaldo anuncia aumento da frota de ônibus e testagem em massa
PMA

O prefeito Edvaldo Nogueira se reuniu, nesta sexta-feira, 5, com o Comitê de Operações Emergenciais (COE) para discutir as novas medidas de enfrentamento à covid-19, em Aracaju. No encontro, foi confirmado que o município acompanhará as determinações estabelecidas no decreto estadual e que, para garantir o cumprimento das medidas, aumentará as fiscalizações na cidade. Também ficou definido que haverá ampliação da testagem na população. Além disso, Edvaldo anunciou que as linhas do transporte público com grande demanda receberão mais veículos como forma de reduzir a lotação nos horários de pico.

Pelo decreto municipal, que segue as definições do Estado, atividades consideradas não essenciais e/ou especiais ficam proibidas de funcionar das 22h às 5h, assim como nos finais de semana, até o próximo dia 21 de março. Estabelecimentos também deverão reduzir a capacidade máxima de público para 50%, durante o período. Da mesma forma, eventos de todas as finalidades - sociais, culturais, esportivos, corporativos, técnicos e festivos - não poderão ocorrer. Nos dois próximos finais de semana, de 5 a 7 e de 12 a 14 de março, bares, restaurantes, lanchonetes e similares só poderão funcionar com sistema delivery ou através de retirada.

Neste sentido, segundo Edvaldo, para assegurar que as medidas estabelecidas nos decretos sejam cumpridas, diversos órgãos da Prefeitura atuarão conjuntamente, nos próximos dias, ampliando as fiscalizações na capital. "Estarão envolvidos nesta mobilização Defesa Civil, Procon, Vigilância Sanitária, Guarda Municipal, SMTT e Emsurb. Esse trabalho de fiscalização tem sido feito desde o início do combate à pandemia, mas intensificaremos nos próximos dias para garantir o cumprimento dos decretos", explicou o prefeito, que pediu a colaboração dos aracajuanos.

Transporte público

Em relação ao transporte público, o prefeito declarou que toda a frota seguirá sendo utilizada e que as linhas cuja demanda é maior receberão mais veículos como forma de reduzir a lotação nos horários de pico. Edvaldo reconheceu as dificuldades no sistema, mas reiterou que, além "de ter que lidar com as questões do nosso próprio sistema, é preciso lidar com a superlotação dos ônibus que circulam interestadualmente".

"Todos os 500 ônibus da frota saem diariamente para atender a população. O que vamos fazer é o redimensionamento entre as linhas, em horários de pico. Ou seja, aquelas que possuem uma demanda maior de pessoas, terão mais ônibus. Mas é importante lembrar que esse é um problema crônico no Brasil, não só em Aracaju. Estamos fazendo um esforço grande para melhorar os serviços, mas há também a questão dos ônibus que vem dos interiores, que circulam interestadualmente superlotados", justificou.

Testagem em massa

Em entrevista à imprensa, Edvaldo ressaltou também a importância do aumento da testagem na população neste momento. "Será fundamental para que possamos identificar as regiões com maiores números de casos. Assim, poderemos nos antecipar. A testagem em massa também é uma ação que tem sido bastante efetiva, que temos feito de maneira religiosa, mas que neste momento precisa ser ampliada para nos dar um panorama ainda mais claro", declarou o gestor confirmando, ainda, que o município "aumentará a quantidade de leitos de enfermaria na rede municipal, nos próximos dias, para garantir que a população não sofra desassistência", disse.

Vacinação

O prefeito lembrou ainda que a campanha de vacinação segue acontecendo de maneira responsável e eficaz. De acordo com Edvaldo, somente nesta sexta-feira, mais de 300 pessoas receberam a primeira dose do imunizante no drive-thru, instalado no Parque da Sementeira. Na quinta-feira, 4, Aracaju contabilizou 2.865 vacinados entre o público priorizado, em um único dia. "Estamos trabalhando diuturnamente na vacinação e durante todo o final de semana seguiremos vacinando, tanto no drive-thru como em cinco unidades básicas de saúde. Todo esse esforço é para que possamos vacinar o máximo de idosos, que são tão afetados pelo vírus", enfatizou.