Sergipe

Deda manda recado duro aos militares

30/09/2015 19h07
Deda manda recado duro aos militares
A8SE


O governador de Sergipe, Marcelo Deda (PT) voltou a falar com dureza com os militares que ameaçam se aquartelar em protesto contra a falta de reajuste salarial para a categoria.
"Em 2008, foi um ano bom e não faltei aos policiais militares. 2009, que é um ano ruim, quero a solidariedade para superar a crise e poder recuperar. É preciso paz para poder resolver os problemas da segurança pública", avisou o governador, durante a inauguração do presídio Antônio Jacinto Filho, no bairro Santa Maria, em Aracaju.
"Disciplina e hierarquia não são um conceito de regime de inserção. Político, que estimula a rebeldia e o motim está cavando a própria cova", disse Deda, ao citar a história do cabo Anselmo (o sergipano de Itaporanga D`Ajuda, José Anselmo dos Santos), que ficou conhecido em todo o país por ter promovido um levante da Marinha, infiltrando-se, depois em grupos armados e sendo apontado como o responsável pela tortura e morte de ex-companheiros e militantes comunistas.
"Cabo Anselmo foi um agente infiltrado e a sua sanha tacanha chegou a tal ponto que não poupou nem a sua companheiro que estava esperando um filho dele", afirmou o governador, ao sugerir que o Ministério Público adote as medidas cabíveis para se fazer cumprir a lei. "O Ministério Público, sem precisar ser provocado, apenas com uma matéria de jornal, não impetra Ações contra gestores, que faça o mesmo com todos os segmentos", defendeu Déda ressaltando que a rebeldia e os motins têm que ser combatidos.
Em tom de advertência, Déda sugeriu que não "desumanizem a Polícia Militar do governador. Não ponham os nossos parceiros em confronto", advertiu, ao pedir que as lideranças dos movimentos militares avaliem quem foi o governo que ofereceu mais ganho aos militares nos últimos anos. Ele ressaltou que o Estado está arrecadando menos que em 2008, mas gastando muito mais. "Só a folha de pessoal subiu 16% num comparativo entre 2008 e 2009", citou.

Tags: