Investigação

Falsos advogados suspeitos de aplicar golpes em indenizações no município de Lagarto são identificados

As vítimas, com ações em andamento, recebiam propostas fraudulentas para pagamento dos valores.

Por Redação do Portal A8SE 06/01/2022 12h44
Falsos advogados suspeitos de aplicar golpes em indenizações no município de Lagarto são identificados
Foto: Polícia Civil/SE

Uma organização de falsos advogados, suspeitos de aplicar golpes eletrônicos em ações indenizatórias no município de Lagarto, foi identificada pela Polícia Civil de Sergipe. A conclusão do inquérito aconteceu nesta quinta-feira (6) e todos os integrantes encontram-se presos em São Paulo por envolvimento em outros crimes de estelionato.

De acordo com o delegado Matheus Cardillo, os suspeitos utilizavam documentos fraudulentos e afirmavam trabalhar em grandes escritórios localizados no Rio de Janeiro e São Paulo. “Eles apresentavam papéis timbrados de diferentes órgãos públicos e parte do grupo afirmava ser oficial de justiça, servidores da Receita Federal, do Banco Central, dentre outras instituições”, disse.

As vítimas eram escolhidas após o grupo acessar o banco de dados de tribunais de justiça dos estados, apresentando propostas de acordo dos valores pleiteados judicialmente, que variavam de R$200 a R$600 mil. Eles ainda condicionavam a liberação da suposta indenização mediante pagamento de taxas e emolumentos.

Uma das vítimas realizou transferências que totalizaram aproximadamente R$ 50 mil, por ser induzida, mediante a fraude praticada, a acreditar que o dinheiro seria destinado ao pagamento de débitos tributários.

Delegado Matheus Cardillo

Durante as investigações, ficou constatada a atuação dos crimes em âmbito nacional. Com o novo inquérito, os investigados também devem ser indiciados por estelionato qualificado.

O procedimento foi encaminhado ao Poder Judiciário para adoção das providências legais aplicáveis ao caso, com representação policial pela reparação dos prejuízos causados às vítimas, a partir dos valores e bens bloqueados judicialmente.