Mundo

Exército israelense avança sobre Gaza mas não impede ataque de foguetes do Hamas

30/09/2015 19h00
Exército israelense avança sobre Gaza mas não impede ataque de foguetes do Hamas
A8SE

O Exército israelense dividiu Gaza em dois e continua avançando pelo território palestino nesta segunda-feira em uma nova fase da ofensiva terrestre para "buscar e destruir a infraestrutura" do Hamas. Contudo, em dez dias da grande ofensiva militar do país, Israel não consegue conter o lançamento constante de foguetes artesanais pelos militantes do movimento radical islâmico.

No décimo dia consecutivo da grande ofensiva militar contra alvos do grupo na faixa de Gaza, o saldo é de ao menos 500 palestinos mortos, incluindo um número crescente de civis, e cerca de 2.500 feridos, segundo fontes palestinas.

Neste domingo (4), ao menos 30 foguetes --a maioria Qassam-- foram lançados de Gaza ao sul de Israel, informaram as Forças de Defesa israelense. Os taques deixaram um israel levemente ferido ao atingir a cidade de Ashdod. Outros quatro israelenses --um soldado e três civis-- foram mortos por ataques de foguetes, informaram oficiais israelenses.

Já nesta segunda-feira, segundo o jornal israelense "Haaretz", ao menos 10 foguetes Qassam atingiram o sul de Israel. Dois deles explodiram em campos abertos próximo ao norte de Ashkelon, em Negev. Pouco antes, dois foguetes Grad explodiram no centro de Yavneh e outros foguetes foram lançados na direção de Kiryat Malachi, atingindo um campo aberto.

No começo da manhã, dois foguetes atingiram campos no Conselho Regional de Eshkol e outros três atingiram o Conselho Regional de Shaar Hanegev. Segundo o "Haaretz", não foram registradas vítimas nos ataques.

Segundo Israel, a ofensiva militar é justamente uma resposta à violação --com o lançamento constante de foguetes-- do Hamas da trégua de seis meses assinada com Israel e que acabou oficialmente no último dia 19.

Embora não causem o número de vítimas dos bombardeios israelenses, o constante lançamento de foguetes do Hamas mostra que, em dez dias, a ofensiva de Israel não conseguiu destruir o grupo e afasta a possibilidade de uma trégua.

Nova fase

Segundo as Forças de Defesa israelenses, a ofensiva terrestre entra nesta segunda-feira em sua segunda fase, dividir Gaza para impedir o livre fluxo de militantes, armas e suprimentos dentro do território, que abriga 1,5 milhão de pessoas.

A nova etapa, denominada "Arrancar pela raiz", se baseia na busca de esconderijos de armas e milicianos, dizem meios de imprensa locais. Cerca de 80 tanques, veículos blindados e escavadeiras israelenses tomaram posição no antigo assentamento judaico de Mitzarin, a cerca de três quilômetros ao sul da capital de Gaza.

Na Cidade de Gaza, as ruas estão desertas e se ouvem apenas os aviões israelenses e o fogo de explosões e disparos de artilharia.

Paralelamente, Israel mantém os bombardeios a túneis usados pelo Hamas para se movimentar clandestinamente pelo território.

Aviões

A ofensiva terrestre é complementada pelos bombardeios aéreos, que atingiram, somente na madrugada desta segunda-feira, 30 alvos em Gaza. Segundo a agência de notícias Efe, 50 palestinos e um soldado israelense morreram nos confrontos desta noite.

A Força Aérea israelense atacou de madrugada uma mesquita e diferentes túneis subterrâneos na fronteira com o Egito, enquanto os navios de guerra destroçaram edifícios litorâneos do Hamas e um bunker onde supostamente armazenavam foguetes palestinos, diz o Exército em comunicado.

"A aviação atacou especialmente uma mesquita em Jabaliyah, onde armas eram escondidas, assim como casas onde também eram armazenadas armas, veículos que transportavam lança-foguetes e homens armados", disse um porta-voz.

O porta-voz do Exército afirmou ainda que muitos militantes do Hamas foram mortos quando um ataque israelense destruiu um lançador de foguetes, mas não soube especificar o número. Israel também atacou um local de combate antiaéreo e um suposto local de lançamento de foguetes.

Os helicópteros israelenses continuam patrulhando a fronteira com Gaza.

Vítimas

Os bombardeios israelenses deixaram ao menos cinco crianças palestinas mortas nesta segunda-feira, informou uma fonte médica palestina.

Três meninos faleceram em consequência do disparo de um obus a partir de um carro de combate no bairro de Zeitun, em Gaza, e os outros dois em bombardeios da Marinha israelense contra o campo de refugiados de Chati, também na cidade de Gaza, informou o diretor das emergências palestinas, Muawiya Hasanein, que não revelou as idades das vítimas.

A ofensiva israelense, que nesta segunda-feira entrou no 10º dia, já provocou a morte de pelo menos 500 palestinos na faixa de Gaza, onde as viaturas israelenses assumiram o controle neste domingo (4) de vários eixos estratégicos, enfrentando em alguns lugares os combatentes do Hamas.

Fonte: Folha OnLine

 

Tags: