Mundo

Alemanha proíbe venda da "Spice", droga que virou moda no país

30/09/2015 19h00
Alemanha proíbe venda da "Spice", droga que virou moda no país
A8SE

A responsável pela luta contra a dependência de drogas na Alemanha, Sabine Bätzing, anunciou nesta terça-feira a proibição de uma droga que está na moda no país, a "Spice", uma mistura de ervas que até agora estava sendo vendida legalmente.

A partir do início de janeiro, através de um procedimento de urgência, a "Spice" será retirada do comércio, e o governo proibirá a sua produção, comercialização e o consumo. Bätzing disse que a droga estava sendo vendida como inofensiva, sob o pretexto de ser apenas uma mistura de ervas, mas contém aditivos químicos sintéticos com efeitos semelhantes aos da maconha.

A proibição das misturas de ervas que levam os nomes de "Spice Gold" ou "Yukata Fogo" aconteceu depois que um estudo encomendado pelas autoridades sanitárias, em Frankfurt, mostrou que elas possuem uma intensidade até quatro vezes maior que a maconha, quando fumadas. Segundo Bärtzing, a droga afeta o sistema nervoso e o sistema circulatório e os efeitos sobre a saúde são "imprevisíveis".

Um pacote com três gramas da mistura é vendido em Berlim pelo equivalente a R$ 103.

O valor é próximo ao da maconha, cuja posse em pequenas quantidades é tolerada em 16 dos Estados alemães.

Thomas Daldrup, um toxicologista da Universidade de Dusseldorf, disse que acredita que a mistura tornou-se popular porque proporciona um efeito placebo.

"É tão caro quanto maconha, e uma vez que as pessoas suspeitam que ela funciona da mesma maneira, elas acreditam que existe um efeito real", disse Daldrup.

Mas Heike Krauser, que trabalha no Serviço de Emergência de drogas em Berlim, disse que as preocupações de um risco para a saúde são reais, notando que usuários da "Spice" relataram que sentiram o coração bater mais rápido, bem como um estado alterado de consciência que durou mais que o da maconha.

A responsável pelo combate às drogas culpa a grande atenção dada pela imprensa alemã ao assunto pela transformação do uso da droga em uma tendência, especialmente entre os usuários mais jovens.

Fonte: Efe

 

Tags: