Dica de leitura

Editora de Sergipe lança livro sobre Antônio Xavier de Assis em Santana do São Francisco

Antônio Xavier de Assis foi jornalista, professor, gráfico, escritor e criou a Livraria Braziliense, ainda editou jornais, lançou cadernos literários e femininos trazendo modernidade ao seu século.

Por Redação do Portal A8SE e Ascom Segrase 01/10/2021 12h29
Editora de Sergipe lança livro sobre Antônio Xavier de Assis em Santana do São Francisco

No início da noite desta sexta-feira (1), a Editora Diário Oficial de Sergipe irá lançar a publicação do livro “Antônio Xavier de Assis: Vida & Obra'' na praça Eronildes Gomes do Sacramento (Mirante), situada no município de Santana do São Francisco.

A produção é da autoria de Carlos Pinna de Assis, conselheiro do Tribunal de Contas do Estado de Sergipe (TCE/SE) e membro da Academia Sergipana de Letras, e Gilfrancisco Santos, professor e pesquisador.

Dividido em cinco partes, o livro compõe uma coletânea de registros, documentos, ilustrações, depoimentos e publicações dos jornais O Povo, Correio de Aracaju, Revista de Aracaju e Jornal de Notícias.

Segundo o pesquisador Gilfrancisco Santos, a publicação representa uma contribuição historiográfica para Sergipe. “Antônio Xavier foi muito importante para o Estado, pois era um homem muito inteligente e se destacou na inspetoria escolar por mais de 20 anos”, explica.

O Conselheiro Carlos Pinna de Assis, neto do homenageado, chama a atenção para o fato de que, em 1904, Antônio Xavier de Assis deixa a livraria e torna-se intendente de Aracaju, uma função similar ao cargo de prefeito nos dias de hoje. “Mesmo atuando em vários setores, ele era escritor, uma de suas obras mais importantes foi o livro ‘Esboços histórico e Geográfico do baixo São Francisco’, que tem manuscritos datados de 1932 e trata do aspecto histórico e geográfico do baixo São Francisco”, relata.

Biografia

Antônio Xavier de Assis nasceu em Penedo (AL) em junho de 1870, e era jornalista, professor, gráfico, escritor e fundador da Livraria Braziliense. O profissional também atuou na edição de jornais e no lançamento de cadernos literários e femininos.

Na capital sergipana, assumiu cargos públicos na área da educação durante o governo Siqueira de Menezes.