Cultura

Feira da Música traz nomes de referência da imprensa para debater papel das rádios na cultura

Por assessoria de comunicação Funcaju 10/03/2021 17h41
Feira da Música traz nomes de referência da imprensa para debater papel das rádios na cultura
Assessoria de comunicação

Muito mais do que um simples número no dial, emissoras de rádio carregam consigo inúmeras possibilidades, desde a contribuição para a compreensão da realidade, até mesmo modificadores sociais através de informação, cultura e cidadania. É com a proposta de destrinchar esse debate que a I Feira da Música de Aracaju realiza, nesta quinta-feira, dia 11, o ‘Byte.Papo’ com o tema ‘Rádio e Música – Como as emissoras podem contribuir para o fortalecimento das cenas culturais’.

Realizada pela Prefeitura de Aracaju, por meio da Fundação Cultural Cidade de Aracaju (Funcaju), a Feira da Música tem se notabilizado pela construção de uma programação com profissionais referência do segmento musical no Brasil.

No Byte.Papo desta quinta-feira, os jornalistas Patrícia Palumbo e Patrick Torquato, farão parte do debate que terá a mediação do diretor do Núcleo de Produção Digital Orlando Vieira, da Funcaju, Anderson Passos (Hot Black).

O debate será online, com transmissão no canal do Youtube da Prefeitura de Aracaju (PMA), a partir das 19h desta quinta-feira, 11. A primeira parte da programação da Feira da Música foi estrategicamente elaborada no formato online, atendendo a necessidade de evitar aglomerações, por causa do atual cenário da pandemia da covid-19.

Sobre os convidados
Patrícia Palumbo é jornalista, uma das mais importantes figuras do rádio no país quando o assunto é música brasileira. Desde 1997, comanda o Vozes do Brasil, uma fundamental janela de promoção e difusão da música produzida de Norte a Sul do país, nas suas mais variadas vertentes, mesclando com elegância nomes consagrados e talentos recém-descobertos. Com este formato, já esteve nas ondas da Eldorado FM de São Paulo e, até 2020, ocupava emissoras educativas de mais de dez capitais.

Para o debate desta quinta-feira, Patrícia traz sua reflexão sobre os caminhos da canção brasileira, desde Ari Barroso aos novos clássicos interpretados por vozes recheadas de sotaques paraenses, pernambucanos e, sobretudo, sergipanos.

Patrick Torquato (Patricktor4), velho conhecido da cena cultural de Sergipe, já foi diretor da Aperipê FM de 2007 a 2009, esteve também à frente da programação da Cultura FM do Pará e, mais recentemente, comandou o projeto de implementação da emissora pública do Recife, a Frei Caneca FM, por quase dez anos.

Em sua atuação nestas emissoras, a promoção da música local na programação das rádios foi sempre a tônica. A construção de laços de diálogo com a sociedade civil e a garantia de vozes diversas nos programas também nortearam a atuação deste baiano, que morou em Aracaju por mais de 20 anos, e se formou na UFS em Radialismo.

“Entender a atividade artística como um importante vetor para geração de emprego e renda, potencializador do turismo e de outras atividades econômicas é fundamental para o desenvolvimento das cadeias criativas que existem ao redor da música e sobretudo para o entendimento da cultura como uma indústria que gera riqueza e não apenas onera o estado nos ciclos de verão e junino. As rádios atuam fortemente, trazendo informações de eventos e tocando as músicas dos artistas, mas pode fazer muito mais”, acrescenta Patrick sobre a direção de suas contribuições na atividade do próximo dia 11.

Feira da Música
Ao longo da sua realização, a Feira da Música vai contemplar 30 apresentações musicais, lançamento de 100 obras artísticas, entre singles e videoclipes, mais de 200 horas de formação profissional através das oficinas e workshops, entre outros produtos que serão entregues ao longo dos meses de março e abril.