Cultura

Escritora lança livro de contos e poemas sobre vivências femininas

O livro "O Feminino que Carrego - cotidiano em prosa e verso" é da escritora e poeta cordelista Daniela Bento

Por Assessoria de Daniela Bento 06/07/2021 11h27
Escritora lança livro de contos e poemas sobre vivências femininas

O primeiro livro da escritora e poeta cordelista Daniela Bento, “O Feminino que Carrego - cotidiano em prosa e verso” é uma compilação de contos e poemas que abordam os mais diversos sentimentos e vivências de mulheres. O livro será lançado virtualmente, dia 09 de julho, às 20h, no Instagram de Daniela Bento (@daniela.poeta).

Partindo de uma abordagem existencial, aspecto marcante da escrita de Daniela Bento, os contos não definem lugar, nem tempo, no entanto, perpassam múltiplos espaços. A publicação possui narração visual a partir de aquarelas de Tamires Ferreira, artista cearense que empresta sua arte ao expressar em pinceladas a leveza e a fortaleza do ser feminino.

Para Daniela o livro amplia o olhar sobre os femininos diversos, “abraçando todos os amores possíveis e imagináveis a obra é um mergulho necessário no feminino que habita a cada um de nós”.

Daniela dedica a publicação as mulheres de sua vida, a mãe (in memorian), as irmãs, as sobrinhas, a esposa, as ‘Marias Mulheres’, que lhe tatuaram o peito com poeira, lida, calor, café e abraço pelas veredas da vida por onde caminhou e conclama “Sigamos juntas!”.

{{value.image}}
A obra foi apoiada pela FUNCAP através da Lei Aldir Blanc. A Editora Ganesha Edições e Produções Culturais.

A professora e cordelista paraibana Lu Vieira destaca a escrita de Daniela Bento “Daniela tem bandeira e posição, ela não se esconde numa bolha, ao contrário, seus escritos são flechas certeiras que questionam e apontam caminhos”.

Na apresentação, a cantora, compositora, poeta e produtora Socorro Lira, afirma que Daniela Bento “tem escrita realista, visceral, sutil e clara como a consciência expandida; por vezes, densa como nossa sombra. Os assuntos que ela toca com a língua - escrita, mas não só - são comuns a todas e todos da nossa espécie vivendo a diáspora na Terra.