Saúde

Vacina contra o sarampo está disponível até o fim do mês

Até setembro deste ano, foram notificados 15.734 casos suspeitos da doença no país

Por Ministério da Saúde 10/10/2020 12h12 - Atualizado 10/10/2020 às 12h12
Vacina contra o sarampo está disponível até o fim do mês
SES

Adultos entre 20 a 49 anos têm até o dia 30 de outubro para se vacinar contra o sarampo nos mais de 40 mil postos de saúde em todo o país. A iniciativa faz parte do Plano de Ação para Interrupção da Circulação do Vírus do Sarampo no Brasil 2020. Em Sergipe, a Secretaria de Estado da Saúde, SES, informou que a vacina já está disponível no estado.

O Ministério da Saúde enviou 36 milhões de doses para reforçar a mobilização e alcançar o público-alvo de cerca de 90 milhões de pessoas.

Até setembro deste ano, foram notificados 15.734 casos suspeitos de sarampo em 20 estados e no Distrito Federal. Nesse mesmo período, o Brasil registra sete óbitos pela doença, sendo um deles referente à faixa etária do público da campanha.

Diante da atual situação, o Ministério da Saúde tem desenvolvido ações em conjunto com os estados e municípios com o objetivo de interromper a circulação do vírus do sarampo. O Plano tem objetivo de elencar as atividades fundamentais e necessárias aos três entes federativos, envolvendo vigilância, imunização, laboratório e atenção à saúde, para que se possa alcançar a eliminação do sarampo no país.

Sarampo

O sarampo é uma doença grave e apresenta alto risco de contágio e disseminação. Uma pessoa pode transmitir para até 18 pessoas. A transmissão ocorre pelo ar, ao tossir, espirrar, falar ou respirar. A vacinação contra o sarampo está contraindicada para crianças menores de seis meses de idade, gestantes e pessoas com sinais e sintomas de sarampo.

Dados - Informações do boletim epidemiológico nº 39 do Ministério da Saúde, apontam que o Pará concentra 65,1% dos casos confirmados de sarampo e a maior incidência dentre as unidades da federação.

Alagoas, Amazonas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pernambuco, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, Sergipe, Tocantins e o Distrito Federal estão com um período de 12 semanas ou mais da data de confirmação do último caso. Este cenário está sujeito a alterações, uma vez que ainda existem casos em investigação nesses locais. Por isso a importância da vacinação em todos os estados.