Brasil

Oposição a Serra é derrotada em sessão de estreia de CPI

30/09/2015 19h33
Oposição a Serra é derrotada em sessão de estreia de CPI
A8SE

Definida pela oposição ao governo José Serra (PSDB) como "a primeira CPI a investigar o governo tucano em uma década", a Comissão Parlamentar de Inquérito da CDHU (Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano do Estado de São Paulo) teve sua primeira sessão, ontem, dominada pelos aliados do governador.

Nenhum dos quatro requerimentos pedidos pela oposição --todos de convite a autoridades ligadas a investigações de irregularidades na CDHU-- foi aprovado. Aliados de Serra dominam a CPI, com 7 dos 9 integrantes, e ocupam os principais cargos. O presidente é José Augusto da Silva Ramos (PSDB), o vice, Milton Flávio (PSDB), e o cargo de relator ficou com Roberto Morais (PPS), também da base de apoio.

A CPI era um projeto antigo da bancada do PT na Assembléia, que tentava havia mais de dois anos criar a comissão para investigar supostas irregularidades em contratos firmados entre prefeituras, empresas e a companhia estadual de habitação. Quando a primeira CPI foi instalada na atual legislatura, quase 200 dias depois da posse, uma manobra empurrou a comissão para o 15º lugar da fila. Só agora ela foi de fato criada.

"Desde a primeira reunião já querem fatiar a CPI? É uma manobra realmente arriscada, não podemos fazer aqui o papel de caixa de ressonância do palácio do governo", afirmou o deputado estadual Ênio Tatto (PT), um dos dois integrantes da oposição na comissão, ao lado de Antonio Mentor (PT).

Os deputados aliados de Serra querem restringir ao máximo a investigação e afirmam que a intenção dos petistas é apenas prejudicar politicamente o governo. "Duvido que a CPI da Petrobras, lá em Brasília, vá investigar tudo desde que ela foi criada", disse o vice-presidente da comissão, Milton Flávio.

Além da esmagadora maioria governista na comissão, o calendário também joga contra a oposição. A CPI se reúne novamente na próxima terça e, no dia seguinte, a Assembléia deve entrar em recesso. Investigação, então, só em agosto.

Fonte: Folha OnLine

 

Tags: