Brasil

Garibaldi anunciará retirada de candidatura; Sarney pede votos

Presidente do Senado já se comprometeu com José Sarney e, em almoço, anunciará desistência a colegas

30/09/2015 19h01
Garibaldi anunciará retirada de candidatura; Sarney pede votos
A8SE

Um dia depois de comunicar ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva que disputará a eleição para a presidência do Senado, o senador José Sarney (PMDB-AP) iniciou articulações para consolidar seu nome, sobretudo nos partidos de oposição. De sua casa, ele telefoneou a alguns senadores do PMDB para agradecer o apoio até agora recebido. "Ele já está organizando o esquema e vai conduzir toda a campanha", comentou o senador Wellington Salgado (PMDB-MG).

O presidente do Senado, Garibaldi Alves (PMDB-RN), já se comprometeu com Sarney e, no dia 28 (quarta-feira), oferecerá um almoço para a bancada em sua residência. No encontro, Garibaldi anunciará formalmente aos colegas a retirada de sua candidatura à presidência do Senado para ajudar Sarney.

Nos telefonemas a senadores da oposição, Sarney confirmou a decisão de disputar no voto em plenário, se necessário, com o senador Tião Viana (PT-AC), candidato do PT. O líder do PSDB, senador Arthur Virgílio (AM) conversou hoje com Sarney e prometeu um encontro para depois de quinta-feira, quando retornará a Brasília das férias nos Estados Unidos. O PSDB deve reunir a bancada na quarta-feira da próxima semana.

Enquanto o PSDB continua dividido entre Sarney e Tião, o DEM tem compromisso com Sarney. Na conversa de ontem com Lula, o ex-presidente, segundo interlocutores do governo, disse que estava sendo pressionado pela bancada do PMDB a entrar na disputa. Ele explicou que, dos 20 senadores do partido, 17 serão candidatos nas eleições de 2010. Ou seja, os próximos dois anos serão importantes para os senadores do PMDB que querem se reeleger ou se candidatar a outros postos. Por isso, a bancada se uniu em defesa da manutenção do PMDB no comando do Senado.

O petista Tião Viana voltou a afirmar, hoje, que não desistirá da disputa, mesmo diante da possibilidade de Sarney fechar os votos nas bancadas do PSDB e DEM, que somam 26 senadores, além dos 20 peemedebistas e seis petebistas. O bloco governista tem 25 votos, e seus integrantes apoiam Tião Viana. Apesar de o líder do PDT, senador Osmar Dias (PR), ter declarado o apoio da bancada de cinco senadores ao petista, Sarney contabiliza aliados no partido.

Fonte: Folha OnLine

 

Tags: