Investigação

Após acusações na CPI, CGU emite nota e nega denúncias

Por Redação Portal A8SE 24/09/2021 18h56
Após acusações na CPI, CGU emite nota e nega denúncias
foto: gov.br

A Controladoria-Geral da União emitiu uma nota nesta sexta-feira, 24, negando acusações feitas por parlamentar durante a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), na última terça-feira, 21, e na quinta-feira, 23.

O ministro da Controladoria-Geral da União, Wagner Rosário, negou à CPI da Pandemia ter cometido prevaricação no caso de suspeitas sobre o então diretor de Logística do Ministério da Saúde, Roberto Dias. Além disso, ele negou ter acontecido superfaturamento no contrato do Ministério da Saúde com a Precisa Medicamentos para compra da vacina indiana Covaxin.

"No caso do Contrato nº 29/2021, de 25/02/2021, celebrado entre o Ministério da Saúde e a empresa BHARAT BIOTECH, representada pela empresa Precisa Medicamentos, o Ministro, logo que tomou ciência dos indícios de irregularidades noticiados pela imprensa, determinou às áreas técnicas da CGU que apurassem os fatos. Foram então instauradas uma Investigação Preliminar, em 24/06/2021, pela Corregedoria-Geral da União (CRG), bem como uma auditoria pela Secretaria Federal de Controle Interna, em 29/06/2021, que resultou na emissão da Nota Técnica nº 1839/2021/CGSAU/DS/SFC, de 28/07/2021, publicada no site da CGU. Diante das irregularidades constatadas, foi determinada à CRG a instauração de Processos de Apuração de Responsabilidade (Lei nº 12.846/2013) contra as pessoas jurídicas envolvidas. A nota técnica também foi encaminhada à Polícia Federal e ao Ministério da Saúde, para as providências cabíveis no âmbito de cada órgão", diz a nota.

O documento esclarece, ainda, sobre que durante a pandemia já foram instaurados "104 Processos de Apuração de Responsabilidade – PAR de pessoas jurídicas, além de 136 Processos Administrativos Disciplinares – PAD em face de 178 servidores públicos federais".

Confira a nota na íntegra clicando aqui.