Mundo

19/07/2018 às 19h00

Assad fica perto de reaver fronteira do Golã após rendição de rebeldes

R7

O presidente da Síria, Bashar al-Assad, está prestes a retomar o controle da fronteira com as Colinas de Golã ocupadas por Israel após acordo para a rendição de militantes

Foto: Reuters
rebeldes na área. 

A situação tem sido monitorada com atenção por Israel, já que, nos últimos dias, entre 285 mil e 325 mil sírios fugiram para a fronteira israelense nas colinas de Golan, segundo a ONU, em busca de uma zona segura.

A esperança deles é se proteger de bombardeios nesta região de exclusão área. Perto de 189 mil pessoas se mudaram para a fronteira com Israel.

A solução dos combates, com os militantes da província de Quneitra aceitando implementar uma passagem livre para a província de Idlib, também na mão dos rebeldes, não significa que os que fugiram necessariamente deixarão o local. 

Há a possibilidade deles permanecerem na área nos termos do Estado. As informações foram passadas por um veículo de notícias do Hezbollah, que atua em defesa do governo sírio, e por uma fonte dos insurgentes. 

Israel estaria em negociação com a ONU para estabelecer zonas seguras para os sírios na fronteira. Israel, porém, já adiantou que não permitirá a entrada desta população no seu território. 

O país organiza, desde 2016, ação de ajuda humanitária, comandada pelo Exército, denominada Boa Vizinhança. São distribuídos alimentos e medicamentos, além de serem realizados tratamentos médicos para os feridos, em hospital israelense. 

O exército sírio, apoiado por milícias xiitas iranianas e pelo Hezbollah, deixou os rebeldes acuados nas províncias de Dara'a e Qunetria, conseguindo retomar regiões estratégicas na fronteira com a Jordânia e nas Colinas de Golã, até o limite da zona desmilitarizada, controlada por tropas da Organização das Nações Unidas, desde 1974.


Fonte: R7