Mundo

09/03/2009 às 10h07

Presidente do Sudão ameaça expulsar diplomatas e mais ONGs em Darfur

Redação Portal A8

O presidente do Sudão, Omar Hassan al-Bashir, ameaçou neste domingo (8) expulsar diplomatas e mais organismos de ajuda humanitária. O governo já expulsou 13 ONGs do país, em um ato que, segundo a ONU (Organização das Nações Unidas), pode deixar mais de um milhão sem comida na conflituosa região de Darfur.

Bashir teve a ordem de prisão decretada na semana passada pelo TPI (Tribunal Penal Internacional) pelos crimes de guerra e contra a humanidade cometidos durante a onda de confrontos em Darfur, em 2003. Após a divulgação do resultado, o governo expulsou ao menos treze ONGs em repúdio a decisão do tribunal.

"Nós expulsamos as organizações porque elas ameaçaram a segurança do Sudão", disse Bashir, com uma espada na mão, durante discurso em Darfur. "Vamos expulsar qualquer um que for contra as leis sudanesas, sejam eles de organizações voluntárias, missões diplomáticas ou de forças de segurança."

Bashir agitou a espada e causou comoção na população que acompanhava o discurso, no qual insultou o TPI, criticou os países ocidentais e defendeu a decisão de expulsar as ONGs.

"Eles mataram milhões de índios. Por que eles não estão sendo julgados?", disse Bashir, em referência a assassinato de americanos nativos na fundação dos Estados Unidos, uma das "atrocidades" citadas pelo presidente para justificar o erro em sua condenação.
"O Tribunal Internacional e todos que trabalham para ele estão sob meus pés", disse, um insulto grave no mundo árabe.

Antes da expulsão, a ONU e outros grupos realizavam o maior programa de ajuda humanitária do mundo em Darfur, onde especialistas dizem que nos quase seis anos de conflito 200 mil pessoas foram mortas e outras 2,7 milhões tiveram de sair de suas casas.

Fonte: Folha OnLine