Mundo

27/02/2009 às 09h45

Passageiros de cruzeiro ancorado desembarcam em Punta del Este

Redação Portal A8

Folha Online
Na madrugada desta sexta-feira, os 1.479 passageiros do cruzeiro de luxo Costa Romantica, incluindo 338 brasileiros, desembarcaram na cidade de Punta del Este. O desembarque acontece dois dias depois do navio ancorar, na noite de quarta-feira (25), a cerca de 13 km a sudoeste da cidade, devido a um incêndio que atingiu seus geradores.

Segundo fontes da prefeitura, citadas pelo jornal argentino "Clarín", alguns dos passageiros foram transportados em ônibus até o aeroporto local, onde pegarão avião a Montevidéu. Outros turistas foram alojados em hotéis de Punta del Este e Montevidéu e aguardam viagem de volta aos seus países de origem ou a Buenos Aires, destino final do navio de bandeira italiana.

O navio ficou ancorado no mar após um incêndio na casa de máquinas, que obrigou a Marinha uruguaia a retirar os passageiros do cruzeiro, mas não deixou feridos. A remoção foi organizada pela agência italiana Costa Cruzeiros, proprietária do navio. O chefe da Guarda Costeira do departamento uruguaio de Maldonado, Alvaro Guinea, destacou à France Presse que "ninguém correu risco de vida".

Procedente do Rio de Janeiro, o cruzeiro se dirigia a Buenos Aires quando um incêndio na sala de máquinas interrompeu a alimentação elétrica e provocou a parada da embarcação diante do principal centro turístico do Uruguai.

A empresa responsável pelo navio Costa Romantica informou na noite desta quinta-feira (26) que após um "longo e bem sucedido trabalho técnico" foi possível restaurar a eletricidade a bordo da embarcação, retomar parte dos serviços e fazer os motores do navio voltar a funcionar, com condições de navegação.

De acordo com a Costa Cruzeiros, responsável pelo navio, o foco do incêndio na sala de máquinas foi "rapidamente controlado, sem colocar em risco a segurança a bordo e que não houve necessidade de acionar o sinal de emergência".

A empresa afirmou ainda que houve interrupção de energia elétrica e que o capitão do navio adotou medidas de segurança e ofereceu assistência a bordo para os passageiros. Contudo, segundo o jornal uruguaio "El Pais", os passageiros passaram por situações difíceis no navio, sem eletricidade, ar condicionado e principalmente água potável --o que prejudicou o uso dos chuveiros e do banheiro no cruzeiro.

Segundo o jornal, às 20h (19h no horário de Brasília) o conserto do gerador permitiu que o navio voltasse a funcionar e que o capitão manobrasse a embarcação na baía de Maldonado.

A Costa Cruzeiros afirmou ainda, segundo o "Clarín", que restituirá o valor da viagem os passageiros, além de um acréscimo de 20% para gastarem em viagens futuras na companhia.

Fonte: Folha OnLine