Esportes

24/01/2020 às 17h59

Torcidas organizadas se aliam em busca de paz nos estádios

Estagiária Yara Lima supervisionada pela jornalista Mayusane Matsunae

As torcidas organizadas fazem orientações para que torcedores de times sergipanos vão aos estádios com o espírito de paz. As entidades realizam trabalhos beneficentes em prol da comunidade onde estão inseridas reuniões antes de clássicos e até campanhas internas contra a violência.

Quando se trata de futebol a violência nos estádios se torna um fator considerável antes dos torcedores decidirem ir ao campo. Ao contrário do que se tem no senso comum, as torcidas organizadas não fazem apologia à violência, na verdade são fortemente contra esse tipo de atitude que mancha um dia que deveria ser de festa.

Trovão Azul

Um membro da torcida Trovão Azul que preferiu não se identificar, alegou que a torcida organizada é contra manifestações de violência. Ele informou que quando alguém do

grupo desobedece essa regra existem punições para repreender a tática, como a suspensão das atividades que a torcida organiza ou poder comprar materiais produzidos com o nome da Trovão Azul.

Segundo o membro, isso acontece porque a diretoria da torcida não tem como proibir que esse membro vá aos jogos. Ele conta também que a organização da torcida vem sendo alterada com o passar dos anos, condutas de cunho violento que antes poderiam ser consideradas normais hoje em dia já não são aceitas.

Esquadrão Colorado

Já na Esquadrão Colorado, um dos diretores lamentou que a torcida é algo muito malvisto pela sociedade, não apenas no estado de Sergipe como em todo o país. Ele fala que no estádio a festa é linda e está o foco.

A torcida, segundo os diretores, tem projetos de ação social como a distribuição de sopa, cachorro quente e café duas vezes por mês no centro da cidade, além de um Natal Solidário anual para levar alegria para crianças carentes. Ele conta que os membros vão em mercados em busca de ajuda com os mantimentos, as mulheres passam o dia no preparo das refeições e a noite todos se juntam para levar os caldeirões cheios para alimentar necessitados.

 

Violência

A estreia do campeonato sergipano foi marcada por violência quando um adolescente de 15 anos que usava uma camisa do Sergipe foi agredido por um grupo de homens da torcida rival. Apesar da gravidade dos ferimentos, após uma cirurgia realizada no HUSE, o adolescente sobreviveu.

Sobre o episódio, o membro da torcida Trovão Azul alegou que quando algo assim acontece a equipe publica nota de repúdio em redes sociais demonstrando aversão à violência, mas não pode fazer muito já que esse torcedor não será proibido de ir ao estádio.

Assim como a Trovão Azul, o diretor da Esquadrão Colorado afirmou que antes de jogos grandes existem reuniões entre os clubes rivais e a Federação Sergipana de Futebol, às vezes a polícia faz parte também, onde juntos definem caminhos para que nada estrague a festa. 

O diretor da Esquadrão Colorado acrescentou ainda que membros da torcida organizada são trabalhadores comuns. É possível ir ao shopping, à um posto de gasolina ou mercado e o atendente ser um integrante do grupo. Ele encerra dizendo que a violência representa tudo o que a torcida é contra.


Fonte: Estagiária Yara Lima supervisionada pela jornalista Mayusane Matsunae