Esportes

09/07/2019 às 17h45

Batistão celebra 50 anos com festa

Secom/Governo

A forte chuva que caiu na manhã desta terça-feira (9), em Aracaju, não diminuiu o entusiasmo e a motivação dos que compareceram à Arena Batistão, para prestigiar o início das festividades dos 50 anos daquela praça de esportes. Autoridades, servidores, colaboradores e os cronistas homenageados assistiram à alvorada festiva com a queima de fogos e participaram emocionados da missa em Ação de Graças, celebrada pelo padre Marcelo Conceição.

 Logo cedo, o público da redondeza do Batistão foi acordado com a queima de fogos. Era o primeiro sinal de que a terça-feira, 9, seria um dia de festa, de comemorações para todos os sergipanos.

 Na homilia, o Padre Marcelo Conceição destacou o fato de ser o Batistão um espaço onde todos se reúnem, sem distinção de raça, cor e religião. "Aqui é um lugar de paz. As famílias se reúnem não só em momentos de lazer, mas também sociais e religiosos. Parabenizo a superintendente Mariana Dantas por lembrar de começar essa grande festa com uma missa, para abençoar todas aqueles que fazem desta casa um lugar de paz e união", lembrou o celebrante, que se sentiu honrado em fazer parte das festividades.

O padre Marcelo foi um dos homenageados com a medalha dos 50 Anos do Batistão, juntamente com os cronistas esportivos, jornalistas e radialistas, que naquele 9 de julho de 1969 disponibilizaram espaços nos programas matinais das emissoras de rádio e televisão, entrevistando os presentes à inauguração da principal praça de esportes do Estado: o Estádio Lourival Baptista.

 "Eu me emociono sempre. Falar do Batistão, da sua história, da festa de sua inauguração é reviver os grandes momentos do esporte sergipano. Por isso, preparamos uma grande festa, com vários momentos, atrações e homenagens, promovendo um resgate e mostrando o que essa praça de esportes representa para todos os sergipanos", comemorou a superintendente Mariana Dantas, convidando o público sergipano, os torcedores e desportistas para as solenidades que prosseguem na noite desta terça-feira.

Homenageados

Entre outros cronistas, foram homenageados Antônio Barbosa, Raimundo Luís da Silva, representado por Custódio Santana; Cicero Barreto, representado por Antônio Vieira (Pixilinga); Givaldo Batista, Reinaldo Moura, Gilvan Fontes, Antônio Menezes de Moura, este representado por Geraldo Chagas Ramos; Paulo Roberto da Silva Lima e Paulo Williams.

 O ex-governador Jackson Barreto, a quem coube gerenciar a principal obra de reforma que transformou antigo Batistão em um estádio de concepção moderna, uma arena multiuso, foi também um dos homenageados na manhã desta terça-feira.

 "Essa homenagem eu transfiro com todo o carinho para os servidores desta praça de esporte. Eu tenho um carinho todo especial pelo Batistão. Foi no meu governo que realizamos a maior obra de reforma por que esta praça de esportes passou, transformando na concepção atual de arena esportiva. Sei do carinho que vocês têm pelo Batistão. Por isso, aproveito para compartilhar essa homenagem com todos vocês que fizeram e ainda fazem do Batistão a maior e mais importante praça de esportes do estado e uma das principais do Nordeste", disse Jackson Barreto.

Programação

As festividades dos 50 anos do Batistão terão sequência à noite, a partir das 18 horas, quando serão homenageados autoridades, personalidades e atletas que marcaram a história dessa praça de esportes, a exemplo dos ex-governadores Lourival Batista e Paulo Barreto, o governador Belivaldo Chagas, os jornalistas Leó Filho e Hugo Costa e os atletas sergipanos que defenderam a seleção sergipana no jogo inaugural contra a Seleção Brasileira.

Serão homenageados os atletas goleiro Marcelo (Itabaiana), o zagueiro Augusto (Itabaiana), zagueiro Gecélio (Sergipe), lateral direito Zé Américo (Cotinguiba), lateral esquerdo Zé Arlindo (Confiança), lateral esquerdo Joel (Sergipe), meia Zé Pequeno, (Sergipe), atacantes Edmilson Santos (Itabaiana), Fernando Oliveira (Cotinguiba) e Valmir (Sergipe).

A Orquestra Sanfônica tocará o Hino do Batistão, e a Banda de Musica da Policia Militar do Estado de Sergipe será responsável pelo Hino Nacional, antes do jogo entre a Seleção Brasileira Amigos de Washington Coração Valente e a Seleção de craques, que fizeram a história do futebol sergipano.

História

O estádio Lourival Baptista foi construído, pode-se dizer, de uma fatalidade e da visão futurista do então governador Lourival Baptista. Um domingo de clássico entre Sergipe e Confiança, o antigo estádio de Aracaju estava superlotado. Aconteceu um tumulto nas arquibancadas que provocou a queda do alambrado e por pouco não aconteceu uma tragédia.

No dia seguinte, o jornalista Leó Filho, então assessor do governador Lourival Baptista, narrou os fatos e fez ver ao governador a necessidade de a capital sergipana ter um estádio de futebol digno da pujança desse esporte. Lourival chamou o Dr. Paulo Barreto de Menezes, então presidente do DER, e autorizou a construção do estádio.

O engenheiro Aurelino Teles foi o responsável pelo projeto. O estádio foi erguido em nove meses, e no dia 9 de julho de 1969, a Seleção Brasileira - que  no ano seguinte se tornaria tricampeã no México, com grandes craques como Pelé, Tostão, Rivelino e Jairzinho - , fez  o jogo inaugural contra a Seleção Sergipana. Estádio lotado com um público de 45.058 torcedores e renda de NC$ 214.315,00, o Brasil venceu por 8x2. Toninho Guerreiro foi o primeiro jogador a marcar um gol no Baptistão e Clodoaldo, o primeiro sergipano a marcar um gol no novo estádio.

 Na sua concepção original, o Baptistão, além de se destacar como principal palco do futebol sergipano, era um marco na educação. O jornalista Hugo Costa compôs e Luiz Gonzaga cantou o hino do Batistão. Nele, é mencionada não apenas a função esportiva da edificação, mas também o papel educacional, visto que abaixo das arquibancadas foram construídas salas de aula, que funcionaram por alguns anos. O gramado era emoldurado por uma pista de atletismo, que formou grande atletas nesse esporte.


Fonte: Secom/Governo