Teatro

05/10/2018 às 18h55

ORSSE realiza concerto com o tema de “Super-Heróis” para salvar vidas

Secult

Teatro lotado e ingressos esgotados. A orquestra Sinfônica de Sergipe (ORSSE) realizou na noite da última quinta-feira, 04, um concerto beneficente inteiramente dedicado às

Foto: Pritty Reis
trilhas sonoras de Super-Heróis com arranjos sinfônicos feitos pelo maestro e diretor artístico Guilherme Mannis. A ORSSE é uma realização da Secretaria de Estado da Cultura (Secult) e pelo quarto ano consecutivo firma parceria com a Associação dos Amigos da Oncologia (AMO).

No palco, os músicos afinavam seus instrumentos e organizavam suas posições. Na plateia, o público comentava sobre a expectativa de ouvir grandes clássicos do cinema tocados em sintonias sinfônicas. “Ouvi dizer que hoje seria dedicado às trilhas sonoras de super-heróis, então corri para comprar meu ingresso”, declara Milena Teles de 17 anos.

Segundo Guilherme Mannis, a forma adotada pela ORSSE para suas grandiosas apresentações é ser o mais plural possível e mostrar para o público uma cultura clássica mesclada ao popular. “Nessa temporada abrangemos características sinfônicas em plenitude, passamos pela ópera, temas da música sergipana, de filmes, seriados e outras manifestações”, afirma Mannis.

O repertório foi composto de trilhas sonoras do “Batman Vs Superman” e “Batman, o cavalheiro das trevas: Dark Knight – Why so serious” de Hans Zimmer (1957), “Os incríveis” de Michael Giacchino (1967) entre outros clássicos de Heróis.   Segundo Mannis, ritmos variados como heavy metal, música latina e salsa estiveram presentes nas peças que foram interpretadas com muita qualidade e aplicação pela ORSSE.

AMO

O concerto foi de caráter beneficente e teve toda sua renda destinada a AMO, uma associação em Sergipe que cuida de pessoas com câncer em situação de vulnerabilidade social. Na ocasião, integrantes da AMO organizaram atividade em incentivo ao Outubro Rosa – uma ação de apoio ao combate ao câncer de mama.

“A causa do câncer e a vida dessas mulheres também diz respeito à cultura, então quando o estado nos apoiou ficamos mais forte. Nesses 22 anos, contribuímos muito para que as pessoas tivessem acesso e permanecessem no tratamento”, declara Conceição Balbino, presidente da AMO. Atualmente, o principal projeto da associação é a casa de apoio para receber pacientes de diversos municípios que não têm família em Aracaju.

O público reconheceu a ação beneficente como uma atitude solidária e necessária. “A ideia de unir um concerto com essa questão da doação para os amigos da oncologia foi brilhante. Tanto o estado como a sociedade devem abraçar essa causa”, frisa Manoel Odilon que frequenta regularmente as apresentações da orquestra em Sergipe.


Fonte: Secult