Agenda

28/09/2019 às 10h33

Cantor e compositor mineiro Flávio Venturini lança novo projeto em Aracaju

Assessoria

Foto: Divulgação
Ao estilo pop romântico, Flávio Venturini, um dos principais cantores, compositores e instrumentistas do País, dono de  grandes hits que embalam muitas paixões,  lança novo projeto, "Paisagens Sonoras" - show que aborda várias suas várias vertentes como artista. Esse novo projeto será lançado em Aracaju, no dia 04 de outubro, no Teatro Tobias Barreto. Os ingressos estão à venda na bilheteria do Teatro Tobias Barreto, a Hitz do Shopping Jardins e online, no site www.guicheweb.com.br.

A base do show são seus grandes sucessos como “Todo azul do mar”, “Noites com Sol”, “Pierrot”, e a versão em inglês para o hit “Nascente”. Vai além quando mostra sua ligação com o erudito com uma roupagem popular com “Céu de Santo Amaro", “ Fotografia de um amor”, “Retratos”. O show ainda conta com temas instrumentais, que estão sempre presentes na carreira de Flavio Venturini e não podiam faltar nesse show.

Milton Nascimento, Caetano Veloso, Nana Caymmi, Ivan Lins, Renato Russo, Ed Motta, Guinga, André Mehmari, Leila Pinheiro, Ney Matogrosso, Alcione, João Bosco e Jorge Vercillo são alguns dos artistas da MPB que já interpretaram composições de Flávio Venturini e mostraram assim a sua força de melodista e versatilidade como compositor.

Em sua trajetória como cantor, pianista e arranjador, Venturini vendeu mais de 1 milhão de cópias em 25 álbuns, com inúmeras músicas emplacadas para o teatro, cinema e TV. 

Sobre Flávio Venturini

Depois de ter conquistado reconhecimento nas Minas do Clube da Esquina, com passagem como cantor, compositor e tecladista por bandas como O Terço e 14 Bis, Flávio iniciou sua carreira solo com o álbum “Nascente”, em 1981. O disco o revelou como intérprete e autor apurado, a partir da faixa-título, gravada anteriormente por Milton Nascimento, e das clássicas “Espanhola” e “Princesa”.

Ao longo dos anos 80 e 90, se consagrou com um dos grandes hitmakers brasileiros em álbuns como “Andarilho de Luz” (1984), “Cidade Veloz” (1990), “Noites com Sol” (1994), “Beija-Flor” (1996) e “Trem Azul” (1998). Além das melodias e harmonias elaboradas, sua marca é o canto suave e o lirismo contundente num universo de canções irresistíveis.

Lançou o DVD “Não se Apague esta Noite” (2009), gravado ao vivo no Museu das Artes da Pampulha, em Belo Horizonte, e os discos “Canção sem Fim” (2006) e “Por que Não Tínhamos Bicicleta” (2004), ambos por seu próprio selo, Trilhos.Arte.

Sempre se apresentando pelo Brasil e por festivais no exterior, Flavio Venturini lançou em 2014 seu mais recente  CD de Inéditas, o ‘Venturini’, mostrando várias tendências do seu rico universo de composição.


Fonte: Assessoria