Brasil

31/10/2010 às 14h47

Prisões por crimes eleitorais diminuem no segundo turno, informa TSE

Redação Portal A8

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) informou que até agora foram registradas em todo o país 149 ocorrências de irregularidades neste segundo turno, das quais 77 resultaram em prisão. O número é menor do que o do primeiro turno, quando, no mesmo horário, havia registro de 368 ocorrências com prisão.
"Como temos só um voto em vários estados - porque apenas em oito [unidades federativas] há voto também para governador -, talvez haja um número menor de cabos eleitorais, de pessoas envolvidas. Talvez aquela paixão toda que ocorreu no primeiro turno tenha diminuído", disse o ministro do TSE, Arnaldo Versiani.

O Pará é o estado que registra o maior número de ocorrências, 21, sendo 19 com prisões e duas sem prisões. Em segundo lugar, está a Bahia, com 19 ocorrências - 11 com prisão e oito sem prisão. Na sequência, aparece Goiás, com 14 (nove com prisão e cinco sem prisão). A maior parte delas ocorreu por boca de urna e divulgação de propaganda.

O ministro destacou que, em Araguari (MG), uma eleitora foi presa porque queria entrar na seção eleitoral antes das 8h, horário de início da votação. Ele já foi liberada pela Justiça Eleitoral depois de prestar esclarecimentos.

Na cidade de Goiana (PE), houve um assalto ao cartório eleitoral. Os bandidos levaram R$ 13 mil que estavam guardados no local. Parte desse dinheiro seria usada no pagamento do almoço dos mesários. Segundo Versiani, todos os funcionários da Justiça Eleitoral fizeram uma arrecadação e conseguiram juntar R$ 10 mil para garantir a refeição dos mesários. O cartório não tem câmera de segurança. O caso está sendo investigado pelas autoridades.

Em algumas regiões, o problema tem sido a chuva forte. Uma tempestade em Pelotas (RS) e também em cidades de Mato Grosso do Sul, Goiás, do Maranhão e Piauí causou a queda de energia. Com isso, as urnas nessas localidades estão funcionando com bateria. Hoje de manhã, houve queda na linha de transmissão do Tocantins, mas o abastecimento já foi restabelecido. "A própria natureza está causando alguns problemas, mas estamos conseguindo remediar", disse o ministro Henrique Neves.

Ele ressaltou que no Amazonas e no Pará, o problema é a seca, que dificulta o transporte fluvial para a troca das urnas. "Mas as Forças Armadas estão trabalhando usando helicópteros", disse. Até o momento, o TSE registra a substituição de 1.195 urnas eletrônicas.

No exterior, a votação está encerrada em 44 cidades de 32 países. Por causa do fuso horário, os Estados Unidos são o país onde a votação terminará mais tarde: às 22h, no horário local.

 

Fonte: Agência Brasil