Brasil

23/03/2010 às 10h59

Começa segundo dia do julgamento do casal Nardoni

Redação Portal A8

O segundo dia de julgamento do casal Nardoni no Fórum de Santana, na zona norte de São Paulo, começou às 10h05 desta terça-feira (23), com um atraso de pouco mais de uma hora do horário previsto para o início. A primeira testemunha a depor, que foi convocada pela defesa e acusação, é a delegada Renata Pontes, do 9º Distrito Policial da capital paulista.

Mãe de Isabella, Ana Carolina Oliveira, chega ao julgamento no Fórum de Santana para o julgamento do casal Nardoni (fonte:R7)

A expectativa do tribunal é de que até o meio da tarde desta terça-feira (23), sejam ouvidas todas as testemunhas de acusação - uma só da acusação e três em comum com a defesa. A perspectiva final é de que até a hora do almoço da quarta-feira (24) todos os depoimentos sejam concluídos, incluindo os da defesa. Caso a estimativa seja cumprida, os réus Alexandre Nardoni, de 31 anos, e Anna Carolina Jatobá, de 26, serão ouvidos na tarde da quarta.

Essa estimativa, porém, é considerada muito positiva, já que, desde o início, o julgamento do caso tem registrado sucessivos atrasos. Na segunda-feira (22), a previsão era de que o julgamento tivesse início às 13h, mas a sessão só começou às 14h17. Já o término estava previsto para as 21h, mas só ocorreu 50 minutos depois.

Na segunda-feira (22), apenas a mãe de Isabella, Ana Carolina Oliveira, testemunha da acusação, prestou depoimento. Para esta terça, estão previstos os depoimentos das testemunhas restantes. Do total de 23 pessoas que foram convocadas tanto pela defesa quanto pela acusação, sete foram dispensadas. Assim como no primeiro dia, a sessão desta terça está prevista para ser encerrada por volta de 21h.

Depoimento do pedreiro

Antes da retomada do julgamento nesta terça, o advogado de defesa do casal Nardoni, Roberto Podval disse que o depoimento do pedreiro Gabriel Santos Neto vai mostrar como foi feita a investigação pela polícia. Segundo Podval, depois de dar, na época do crime, uma entrevista a um jornal dizendo que a obra onde ele trabalhava - nos fundos do apartamento dos Nardoni - foi invadida, Santos Neto teria dado uma outra entrevista dizendo que foi orientado pelo delegado a negar a informação. 

Fonte: R7