Brasil

07/01/2010 às 13h59

Determinar local de compra do material escolar é abusivo

Redação Portal A8

Com a lista do material escolar em mãos, os pais devem se preparar para "bater perna" na pesquisa pelos melhores preços. Algunas escolas, porém, determinam que certos itens ou os livros didáticos sejam comprados no próprio estabelecimento ou em lojas determinadas.

A prática, segundo o Procon-SP, é abusiva, pois impede que o consumidor pesquisa preços e compare marcas e estabelecimentos em busca da melhor oferta e custo/benefício.

Outra dica para economizar é comprar o material escolar ainda em janeiro. Isso contribui para evitar o estresse das longas filas, lojas cheias e, principalmente, os preços mais altos. A recomendação é do Idec (Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor), que aponta a antecipação da compra dos materiais como principal lição para os pais que desejam economizar.

O Simpa-SP (Sindicado do Comércio Varejista de Material de Escritório e Papelaria de São Paulo e Região) acredita que os preços do material escolar devam ficar até 6,5% mais caros neste ano, se os varejistas repassarem o valor estimado da inflação para o período.

O governo analisa anunciar um pacote de redução da alíquota dos impostos incidentes sobre alguns dos produtos utilizados na escola. Caso haja desoneração via Medida Provisória, pode haver uma significativa redução de preços para o consumidor.

Antes de sair de casa

Antes de sair às compras, verifique os itens que seu filho usou no ano passado. Os que estiverem em bom estado podem ser reutilizados, aconselha o Idec. Estojo, tesoura e dicionário, por exemplo, normalmente duram bastante.

Para gastar menos com o item que mais pesa no orçamento, os livros didáticos, a recomendação do Idec é tentar comprar diretamente da editora.

O Procon também lembra que algumas lojas oferecem descontos para compras em grandes quantidades. "Portanto, sempre que possível, reúna um grupo de pais e discuta sobre essa possibilidade com os estabelecimentos", afirma o órgão. A compra em lojas de atacado também costumam sair mais baratas.

Fonte: Infomoney