Economia e Inovação

Por: Sudanês B. Pereira

31/05/2022

Empresas Multinacionais Digitais Mudam a Natureza do Investimento Transfronteiriço

As oportunidades de desenvolvimento relacionadas à economia digital podem ser significativas no sentido de melhorar a competitividade em todos os setores da economia, gerar novas oportunidades para negócios e impulsionar novos caminhos de acesso a novos mercados.

O relatório “Investment Trends Monitor, No. 41” da Conferência das Nações Unidas para o Comércio e Desenvolvimento (UNCTAD), mostra que as empresas multinacionais digitais tiveram um crescimento significativo na última década, intensificado recentemente pela pandemia da Covid-19.

Segundo a UNCTAD, as empresas multinacionais digitais (EMD), são um “grupo dinâmico de empresas que, com base em vantagens específicas em intangíveis, efeitos de rede e ativos digitais, podem atingir escala em pouco tempo e expandir no exterior sem muitos problemas”. Elas estão transformando não apenas as indústrias tradicionais, mas também as formas tradicionais de produção internacional - comércio e investimento em cadeias globais de valor.

Destaques do Relatório

As vendas totais do top 100 foram quase 160% maiores em 2021 do que em 2016, um aumento médio de 21% ao ano. O lucro líquido aumentou 23% ao ano com um aumento significativo de mais de 60% entre 2020 e 2021.

O top 100 das empresas digitais é muito dinâmico, com 3-4 novas EMD a cada ano, enquanto o ranking do top 100 tradicional é relativamente estável. Ao longo de 5 anos, 39 novas empresas se juntaram ao ranking, substituindo outras que foram adquiridas ou superadas.

O número de plataformas de internet na lista aumentou de 11 para 15, com 9 novas participantes. No segmento de soluções digitais, o número de EMD aumentou de 26 para 34, e no segmento de e-commerce de 18 para 21.

O top 100 digital é altamente concentrado geograficamente. A lista é dominada por empresas de economias desenvolvidas, principalmente dos Estados Unidos (59) e da Europa (22). Algumas empresas digitais do Sudeste Asiático e da América Latina estão ganhando relevância global.

Essa crescente relevância das empresas multinacionais digitais na produção internacional, gera desafios e oportunidades para os países em desenvolvimento. O investimento direto estrangeiro (IDE) dessas empresas digitais geralmente traz poucos ativos físicos e empregos, por outro lado, pode estimular o desenvolvimento de infraestruturas digitais (hard e soft) e oportunidades de comércio eletrônico para empresas locais. Ver a figura 1.

{{value.image}}
Fig. 1. Aumento nas Vendas das 100 maiores Empresas Digitais e Distribuição .png

Dinâmica das Empresas Multinacionais Digitais e Distribuição Geográfica

No ranking de 2021, os segmentos que tiveram o maior número relativo de novos entrantes foram o de plataformas de internet (9 dos 15 atuais) e e-commerce (9 de 21).

Entre as empresas que saíram do ranking no período de 5 anos, quase um terço (14) foi adquirida por outras. O relatório cita os casos do LinkedIn (adquirido pela Microsoft), Priceline (Booking Holdings, Estados Unidos), Viacom (National Amusement, Estados Unidos), Sky (Comcast, Estados Unidos), entre outros.

Soluções digitais é o segmento com mais empresas (34) no ranking, seguido por conteúdo digital, no entanto, elas representaram apenas 31% da receita total do top 100 em 2021. E-commerce é o segmento com maior participação de receita no ranking, devido à presença de grandes empresas como Amazon (Estados Unidos) e Alibaba (China). Essas duas empresas juntas correspondem a 34% do faturamento e 17% dos ativos das 100 maiores.

É importante olhar com mais detalhes a distribuição dessas empresas ao redor do mundo. Como mencionado anteriormente, o ranking é dominado por empresas de economias desenvolvidas, principalmente dos Estados Unidos (59) e de outras economias desenvolvidas (32). Existem empresas ganhando relevância global, oriundas do Sudeste Asiático e da América Latina, a exemplo da Joyy and Sea (Cingapura) e Mercadolivre (Argentina).

Os dados do relatório revelam que a diversidade geográfica aumentou no segmento de plataformas de internet devido à entrada de empresas da China, Cingapura e Europa. Um exemplo citado é o mecanismo de busca chinês Baidu, que aumentou suas operações no exterior desde 2016, inclusive por meio de uma parceria com a empresa americana de rede social Snap.

O gráfico abaixo ilustra o detalhamento geográfico das empresas multinacionais digitais. Observe a concentração das empresas americanas entre a primeira versão do ranking (2017) e a segunda em 2022. Mesmo com redução no número de empresas no segmento de conteúdo digital em 2022, as empresas americanas ainda lideram nesse segmento. As empresas americanas aumentaram sua participação no segmento de soluções digitais, mas permaneceu estável em plataformas de internet.

{{value.image}}
Gráfico 1. Detalhamento Geográfico das 100 maiores Multinacionais Digitais por Segmento (2017 e 2022).png

Investimento Greenfield

De acordo com o relatório, as empresas multinacionais digitais entram nos mercados estrangeiros com pouco ou nenhum investimento em ativos físicos, em especial as plataformas de internet, cujo modelo de negócios é facilmente escalável e não requer necessariamente investimento de capital físico em mercados onde geram vendas. Normalmente, as multinacionais digitais não se envolvem muito em investimentos greenfield, e a maior parte de seus investimentos no exterior está relacionada a aquisições de concorrentes ou startups valiosas.

Em contraste, as empresas do comércio eletrônico dependem cada vez mais de seus próprios centros de distribuição de grande escala em todo o mundo, aumentando sua participação em ativos estrangeiros, pois precisam configurar suas redes de distribuição. O relatório identificou que a crescente atividade de e-commerce devido à pandemia, se traduziu em um aumento nos investimentos greenfield (principalmente em projetos relacionados a logística e vendas) em 120% em 2020 e mais 10% em 2021. Grande parte foi contabilizado pela gigante do comércio eletrônico Amazon (Estados Unidos). Ver o gráfico abaixo.

{{value.image}}
Gráfico 2. Investimento Greenfield, 2016 - 2021 (US$ Bilhões).png

Por fim, as tabelas abaixo ilustram as 10 principais empresas multinacionais digitais por segmento e vendas. Vale esclarecer os critérios-chave para inclusão das empresas na lista.

a) Maiores empresas globais de capital aberto

b) Core business em um dos quatro segmentos da economia digital: plataformas, soluções, conteúdo, e-commerce

c) Mais de 10% dos ativos e/ou vendas fora de seu mercado doméstico.

{{value.image}}
Principais Multinacionais Digitais por Segmento e Venda - 2021 (US$ milhões)_parte 1.png
{{value.image}}
Principais Multinacionais Digitais por Segmento e Venda - 2021 (US$ milhões) _parte 2.png

Boa semana, boa sorte!

Sobre o blog

Economista, com formação na Universidade Federal de Sergipe (UFS), Mestre em Geografia (desenvolvimento regional) e Especialista em Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC). Experiências no setor governamental (municipal e estadual), setor privado (Associação Comercial Empresarial de Sergipe - ACESE e Federação do Comércio de Bens e Serviços e Turismo - Fecomércio), foi professora substituta no Departamento de Economia na UFS, pesquisadora e uma das fundadoras do Núcleo de Propriedade Intelectual, hoje Cintec-UFS.

Arquivos