Economia e Inovação

Por: Sudanês B. Pereira

22/03/2022

A Mobile Economy Gerou US$ 4,5 Trilhões em 2021

A GSMA é uma organização global que unifica um ecossistema móvel de operadoras móveis, a indústria - incluindo fabricantes de aparelhos e dispositivos, empresas de software, fornecedores de equipamentos e empresas de internet -, bem como serviços financeiros, saúde, mídia, transporte e serviços públicos, além de participantes-chave em setores adjacentes, como automotivo e manufatura.

A organização produz relatórios que fornece insights sobre o estado da indústria móvel em todo o mundo. Esses relatórios contêm uma variedade de conjuntos de dados de tecnologias, socioeconômicos e financeiros, incluindo previsões sobre a economia móvel até 2025. O artigo dessa semana versará sobre o relatório The Mobile Economy 2022.

PRINCIPAIS INFORMAÇÕES DO THE MOBILE ECONOMY 2022

A conectividade tem exercido um papel fundamental para as pessoas e empresas, à medida que o mundo está saindo da pandemia e as atividades sociais e econômicas se recuperam. De fato, os serviços digitais, sustentados por redes de alta velocidade, devem se tornar mais presentes em um mundo pós-pandemia. Nesse contexto, populações desconectadas estarão em maior risco de exclusão de muitos serviços online que melhoram a vida.

O relatório trás dados impressionantes. Até o final de 2021, 5,3 bilhões de pessoas assinavam serviços móveis, representando 67% da população global. Em 2021, o número de assinantes de internet móvel atingiu 4,2 bilhões de pessoas em todo o mundo.

A expectativa é de que, no período até 2025, haverá mais 400 milhões de novos assinantes móveis, a maioria deles da Ásia-Pacífico e da África Subsaariana, elevando o número total de assinantes para 5,7 bilhões (70% da população global). Ver o quadro abaixo.

{{value.image}}
Quadro 1. The Mobile Economy – Serviços Móveis.png

O 5G ACELERA E O 4G COMEÇA A DECLINAR

Segundo os dados da GSMA, a adoção do 5G cresce rapidamente em mercados desenvolvidos, com o número total de conexões chegando a 1 bilhão em 2022. Ao mesmo tempo, os lançamentos do 5G em grandes mercados com níveis de renda médios (como Brasil, Indonésia e Índia) pode incentivar ainda mais a produção de dispositivos 5G mais acessíveis, o que, por sua vez, pode aumentar o crescimento de assinantes. Até o final de 2025, o 5G será responsável por cerca de um quarto do total de conexões móveis.

E o 4G? segundo o relatório, o 4G ainda tem espaço para crescer na maioria dos mercados em desenvolvimento, particularmente na África Subsaariana, onde a adoção do 4G ainda está abaixo de um quinto do total de conexões, e as operadoras estão intensificando os esforços para migrar os clientes 2G e 3G existentes, para redes 4G. Os dados apontam que a adoção do 4G em nível global está começando a diminuir, dada a crescente adoção do 5G nos principais mercados, como China, Coreia do Sul e EUA. Globalmente, a adoção do 4G representará 55% do total de conexões até 2025, abaixo do pico de 58% em 2021. Ver o quadro abaixo.

{{value.image}}
Quadro 2. The Mobile Economy - Conexões.png

O CRESCIMENTO DAS TECNOLOGIAS DE SERVIÇOS MÓVEIS E A CONTRIBUIÇÃO PARA A ECONOMIA GLOBAL

De acordo com o relatório, em 2021 as tecnologias e serviços móveis geraram US$ 4,5 trilhões, ou 5% do PIB global. Esse número aumentará em mais de US$ 400 bilhões até 2025, podendo alcançar US$ 4,9 trilhões, à medida que os países se beneficiam das melhorias na produtividade e eficiência trazidas pelo aumento de serviços móveis. Ver o gráfico abaixo.

{{value.image}}
Grafico 1. The Mobile Economy.png

Em 2021, o ecossistema móvel sustentou aproximadamente 26 milhões de empregos (direta e indiretamente) e contribuiu para o financiamento do setor público com quase US$ 500 bilhões, arrecadados por meio de impostos sobre o setor. O ecossistema global gerou diretamente mais de US$ 1,1 trilhão em 2021, com as operadoras móveis respondendo por mais da metade desse valor. Ver o gráfico abaixo.

{{value.image}}
Gráfico 2. Ecossistema Móvel Global.png

Espera-se que o 5G sozinho beneficie a economia global em mais de US$ 960 bilhões em 2030, principalmente em regiões desenvolvidas, incluindo Ásia Oriental e Pacífico, América do Norte e Europa. No final da década, outras regiões também começarão a se beneficiar do 5G, com a implantação da rede. Ver o gráfico abaixo com a expectativa de contribuição por setor de atividade econômica em 2030.

{{value.image}}
Gráfico 3. Contribuição (%) Global do 5G por Setor, 2030.png

Para A GSMA, embora o 5G ainda esteja em seu início e todo o potencial da tecnologia esteja longe de ser realizado, a indústria móvel já está se preparando para o que vem a seguir, dado o ciclo tecnológico típico de 10 anos. Enquanto o 5G promete velocidades de download muitas vezes mais rápidas do que as velocidades atuais, oferecidas pelas redes 4G, o 6G está definido para elevar ainda mais o nível, com velocidades muito mais rápidas e maior largura de banda para manter os consumidores mais conectados do que nunca.

POLÍTICAS PARA RECUPERAÇÃO RESILIENTE

O relatório conclui que a tecnologia móvel desempenhará papel fundamental nas estratégias de recuperação dos governos pós-pandemia e uma oportunidade significativa para promover o crescimento inclusivo e resiliente, por meio de políticas e ambientes regulatórios adequados para serviços móveis, a fim de acelerar o investimento e a inovação.

Os dados indicam que as operadoras de telefonia móvel pretendem investir mais de US$ 600 bilhões em todo o mundo entre 2022 e 2025, aproximadamente 85% serão em redes 5G. Para apoiar a indústria móvel no cumprimento dessa meta e fechar a lacuna de uso (lacuna de uso refere-se àqueles que vivem em áreas cobertas por redes de banda larga móvel, mas ainda não assinam serviços de banda larga móvel), governos e reguladores podem implementar estruturas de políticas que orientem o investimento, incluindo:

Essas ações são de grande importância, pois a transição para o 5G está ocorrendo em velocidades variadas, com mercados pioneiros liderando, e as economias emergentes com transição lenta para o 5G. Ainda, considerando a pandemia, a conectividade e as tecnologias, fica evidente a necessidade da promoção de investimentos privado e governamental para um crescimento equilibrado, por meio de políticas que permitam um ambiente regulatório adequado aos novos serviços móveis, viabilizando a transformação digital da população e das empresas.

O relatório da GSMA é um farol excelente para entender a dinâmica desse mercado, tendo em vista que esse é um dos segmentos da tecnologia que permitirá não somente a aceleração de negócios, mas um vetor primordial para a transformação digital. A tecnologia móvel desempenhará um papel central, desde a melhoria do acesso à educação e aos serviços de saúde, até o tratamento de questões como pobreza e desigualdade.

Excelente semana!

Sobre o blog

Economista, com formação na Universidade Federal de Sergipe (UFS), Mestre em Geografia (desenvolvimento regional) e Especialista em Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC). Experiências no setor governamental (municipal e estadual), setor privado (Associação Comercial Empresarial de Sergipe - ACESE e Federação do Comércio de Bens e Serviços e Turismo - Fecomércio), foi professora substituta no Departamento de Economia na UFS, pesquisadora e uma das fundadoras do Núcleo de Propriedade Intelectual, hoje Cintec-UFS.

Arquivos