Sergipe

26/07/2019 às 17h31

Mutirão de combate ao Aedes chega no bairro José Conrado de Araújo

Agência Aracaju de Notícias

Com envolvimento de diversas secretarias e órgãos municipais, a Prefeitura de Aracaju realizará, na manhã do próximo sábado (27), o quarto mutirão do Plano de Intensificação das Ações de Combate ao mosquito Aedes aegypti. A ação contemplará o bairro José Conrado de Araújo, zona Oeste da capital, e as equipes se concentrarão na Unidade Básica de Saúde João Cardoso, antigo Centro Social Urbano (CSU), na rua Alagoas, 2051, às 7h30.

Com o foco voltado para as localidades que apresentaram os maiores riscos de proliferação do mosquito, no Levantamento Rápido de Levantamento Rápido de Índices de Infestação pelo Aedes aegypti (LIRAa) divulgado neste mês, os mutirões promovidos pela Prefeitura consistem na amplificação de diversas ações da Prefeitura, como visitas dos agentes da Secretaria Municipal da Saúde (SMS) às residências dos bairros visitados, para eliminação dos focos do mosquito e conscientização da população sobre a importância dos cuidados para coibir a proliferação do Aedes.

O trabalho conta, ainda, com o engajamento de agentes de limpeza, os quais são orientados a identificar locais que servem como depósito para as larvas do mosquito e farão o recolhimento de pneus, embalagens plásticas e outros objetos que possam acumular água, a partir das ações de limpeza no bairro.

Desde o lançamento do Plano de Intensificação, feito pelo prefeito Edvaldo Nogueira no dia 28 de junho, os mutirões de combate ao Aedes aegypti, antes realizados quinzenalmente, são realizados agora todos os sábados e, desde então, já foram contemplados por esta ação os bairros Japãozinho, Santa Maria e Olaria.

Uso do drone

Nas atividades de intensificação do combater à proliferação do Aedes aegypti, a Prefeitura de Aracaju tem utilizado um drone para auxiliar as equipes de campo, durante os mutirões, no trabalho de localização de pontos menos acessíveis que podem ser focos de proliferação do mosquito.

Com uma câmera, o drone faz sobrevoos para localizar, em residências ou terrenos, possíveis focos e criadouros do Aedes aegypti. Após a identificação, as equipes são informadas sobre o ponto exato da área suspeita. Os agentes comunitários se encaminham, então, para o local indicado, otimizando o trabalho, que se torna mais eficaz com a utilização desse recurso.


Fonte: Agência Aracaju de Notícias