Sergipe

24/07/2019 às 19h01

Catedral Metropolitana de Aracaju tem piso assentado e deve finalizar segunda etapa da revitalização

Agência Sergipe de Notícias

Importante templo religioso e um dos pontos turísticos mais visitados da capital sergipana, a Catedral Metropolitana de Aracaju finaliza a segunda etapa da revitalização com o assentamento do novo piso escolhido pela Arquidiocese de Aracaju, no projeto de reforma. A obra é executada pelo governo de Sergipe, por meio da Secretaria de Estado do

Foto: Marcos Rodrigues/Sedurbs
Desenvolvimento Urbano e Sustentabilidade, Sedurbs. Os serviços já ultrapassam metade da sua execução.

Dividido em quatro etapas, o processo de revitalização recebe investimentos provenientes do Governo Federal, através de emendas propostas por parlamentares sergipanos, através de convênio firmado entre a Sedurbs e o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN).

Os trabalhos desenvolvidos nesta etapa da reforma compreendem a substituição do piso do pavimento interno térreo (mármore arabescato escuro) por piso granítico branco polar, revestimento em granito nos pilares e nas paredes do pavimento térreo, serviços de contenção contra umidade na parte externa e interna, restauração dos arabescos e elementos arquitetônicos característicos das fachadas, recuperação das esquadrias de madeira e metálicas e dos elementos arquitetônicos característicos das fachadas e a revitalização dos banheiros.

De acordo com o secretário Estadual do Desenvolvimento Urbano, Ubirajara Barreto, boa parte dos serviços já foram executados. “Fizemos a impermeabilização da estrutura interna, um metro abaixo do piso, a fim de que, independentemente da quantidade de chuva que venha a ocorrer, não haja infiltração no templo. Também concluímos a recuperação do revestimento das paredes e do piso (assoalho em madeira) do pavimento superior, fizemos o grampeamento estrutural das fissuras e substituímos a escada em madeira da torre esquerda”, explica.

O secretário destaca ainda outras ações concluídas. “Recuperamos a torre esquerda, banheiros, os pináculos e elementos artísticos das paredes, reconstruímos a pavimentação externa em concreto e pedra lagoa santa, construímos duas rampas de acesso para pessoas com dificuldade de locomoção com guarda-corpo em aço inox, sendo duas na entrada principal e uma em cada lateral do templo”, detalha.

O andamento dos serviços retomou a celeridade inicial. A aplicação do piso é minuciosa, porque é necessário fazer recortes, porém, já foram aplicados 40% no pavimento térreo, e, assim que for finalizado, serão iniciados os trabalhos de revestimento granítico nos pilares e paredes do térreo, além de pequenos acabamentos. Nos próximos 90 dias esta etapa será concluída.   
 
A revitalização

Iniciada em 2012, a reforma só passou a ser responsabilidade do governo do Estado em abril de 2017, e, desde então, a execução dos trabalhos se manteve limitada, visto que, apenas em 08 de fevereiro de 2018 a Arquidiocese interditou totalmente a igreja, o que possibilitou o avanço dos serviços, uma vez que sem a presença dos fiéis, os profissionais puderam desenvolver as atividades sem a preocupação com a segurança de terceiros.

Na primeira etapa, o valor destinado foi de R$ 1.199.051,99 e compreendeu a restauração de toda a cobertura, revestimento e pintura das quatro fachadas, recuperação das instalações elétricas, implantação do sistema de proteção a descargas atmosféricas (SPDA).

A segunda etapa da reforma recebe recursos na ordem de R$1.636.712,17. No que diz respeito à terceira e quarta etapa, o IPHAN está analisando os projetos elaborados pela Arquidiocese de Aracaju, para só então dar início ao processo licitatório.

Para a recuperação dos ornatos no topo das fachadas, os profissionais fizeram os moldes em fibra e resina, preenchendo-os com argamassa, cimento e areia. Após o processo de secagem que variavam entre 48 e 72 horas eles foram aplicados de volta para embelezar as fachadas laterais, garantindo assim as características originais.

Por se tratar de uma edificação antiga e tombada pelo IPHAN, todas as precauções foram tomadas, tendo sido colocados tapumes de madeira e lonas nas laterais das colunas, garantindo assim a integridade das imagens e ornamentos artísticos.


Fonte: Agência Sergipe de Notícias