Sergipe

19/07/2019 às 11h50

Usina de asfalto para de funcionar em Aracaju e prefeitura aciona fabricante de peças para reparar danos

Redação Portal A8
Os operadores da usina de asfalto da Prefeitura de Aracaju foram surpreendidos, nesta quinta-feira, 18, com uma parada súbita no funcionamento da unidade. Para avaliar de perto o problema, o presidente da Empresa Municipal de Obras e Urbanização (Emurb), Sérgio Ferrari, esteve na usina no início da manhã desta sexta, 19. 
De acordo com Ferrari, até o momento, após um diagnóstico inicial, foi detectada a quebra de quatro relés, peças consideradas fundamentais para a produção do asfalto. "Elas controlam a movimentação da correia que alimenta a operação da usina", explica Sérgio Ferrari.
O presidente explica que esse tipo de problema nunca havia acontecido em dez anos de operação da unidade. Segundo ele, a causa provável para as peças terem queimado foi uma sobrecarga no sistema, por conta do volume de asfalto processado neste período em razão da ação de recuperação das vias. "Nós tivemos que recuperar a cidade, então trabalhamos por mais tempo e com material muito molhado", justifica Ferrari.
A confirmação do diagnóstico virá na próxima segunda-feira, dia 22, quando chegará a Aracaju um técnico da fabricante das peças da usina, a Ciber. "Solicitamos a vinda de um técnico da fábrica, que estará aqui com todo o sistema de computação da fabricante para poder analisar todos os circuitos e ver exatamente o que ainda funciona", esclarece o secretário.
Enquanto isso, a Emurb trabalha em várias frentes para que não haja prejuízo no processo de recuperação da cidade nesse período pós-chuvas, e já está providenciando a compra das peças que foram danificadas, que são importadas.
O presidente ressalta que há material suficiente para realizar a operação tapa-buraco nessa sexta e também no fim de semana. "A partir de segunda, caso haja demora para reparar a usina, vamos contratar uma empresa para que ela passe a fornecer o material, de maneira que isso não atrapalhe a operação tapa-buraco nem a de recapeamento", reforça. 
"Temos ainda a possibilidade de fabricar o asfalto pré-misturado a frio, que  serve para eventuais pequenos reparos, e ele passará a ser fabricado já na próxima semana", afirma Ferrari.
 
Parada súbita
 
Alisson Carlos dos Santos é um dos técnicos que operam a usina. Ele conta que, na quinta-feira, houve uma parada súbita no sistema, o que ocasionou o acionamento de vários alarmes e, em seguida, um estouro. 
"O operador apertou o botão de emergência e me chamou. Identificamos resquícios de fumaça e cheiro de queimado. Foi quando a operação foi paralisada. Agora, vamos dar continuidade a uma varredura para identificar a principal causa e se houve outros componentes atingidos", explica Alisson.