Sergipe

17/05/2019 às 12h57

Secretaria de Segurança Pública oferece serviços que combatem e previnem a LGBTfobia em Sergipe

SSP/SE

Foto: SSP/SE
Nesta sexta-feira, 17, é comemorado o Dia Mundial de Combate à LGBTfobia. Em Sergipe, a luta pelo combate e prevenção da causa não se resumem somente a esta data, o trabalho é feito diariamente pela Delegacia de Atendimento a Crime Homofóbicos, Racismo e Intolerância Religiosa (Dachri) e também pelo Centro de Referência de Combate e Prevenção a Homofobia (CCH), que têm parcerias diretas com o movimento LGBT+ de Sergipe.

 A Dachri, que foi inaugurada em 2017, é uma delegacia especializada que também trata dos crimes relacionados à LGBTfobia. Agora com atendimento de 24H, o público LGBT+ pode denunciar qualquer violência sofrida, seja ela física ou psicológica. “Eu acredito que as pessoas estão exercendo ainda mais a sua cidadania. As vítimas desses preconceitos,  procuram os órgãos estaduais para que os seus direitos sejam garantidos. E nós lutamos pela apuração desses crimes”, conta a delegada da Dachri, Meire Mansuet.

 Já o CCH, que tem mais de dez anos de atuação,  trabalha com uma equipe multidisciplinar formada por  por psicólogos, assistentes sociais, assessores jurídicos e estagiário. "Como seres humanos não podemos ficar calados diante dessa violência. Hoje, há como denunciar sem exposição pelo Disque 100, e nós do CCH esclarecemos essa política pública para a população.  Também possibilitamos a articulação do próprio movimento LGBT+ nos municípios, assim o indivíduo não precisa sair da sua cidade para garantir seus direitos" , explica a assistente social do CCH, Edna Lima.

 A atuação preventiva do CCH na capital e nos municípios, nas instituições como presídios e hospitais, ou até mesmo visitando comunidades levanta a bandeira do movimento e propicia um avanço. “Nós temos uma rede estruturada com instituições públicas para a realização das nossas ações. Por exemplo, a mudança do nome social, que ocorreu em 2009 em parceria com a Defensoria Pública”, explica a psicóloga e diretora do CCH, Cláudia Andrade.

 A diretora do CCH ainda ressalta como a parceria com o próprio movimento LGBT+ de Sergipe fortifica as vitórias políticas e sociais dessa causa. Um exemplo de colaboração é a assistente social e integrante da Secretaria da Astra LGBT+, Maria Eduarda Marques. "Dentro do CCH pude perceber a importância das ações que esse centro realiza, desde sensibilização de profissionais com relação à identidade de gênero e orientação sexual aos serviços de convivências com famílias para que aceitem o seu filho LGBT+" , conta a ativista.

 

Foto: SSP/SE

Onde denunciar

Dachri


Delegacia de Atendimento a Crimes Homofóbicos, Racismo e Intolerância Religiosa (Dachri)

Rua Itabaiana, 258 - bairro Centro, Aracaju/ SE

(79) 3205-9400

 

CCH

Centro de Prevenção e Combate à Homofobia (CCH)

Rua Guilhermino Rezende, 76 - bairro São José, Aracaju/SE

(79) 3213-7941
 

Disque 100

O Disque 100 funciona diariamente, 24 horas por dia, incluindo sábados, domingos e feriados e também atende a população LGBT.

As ligações podem ser feitas de todo o Brasil por meio de discagem gratuita, de qualquer terminal telefônico fixo ou móvel (celular), bastando discar 100.

O serviço pode ser considerado como “pronto socorro” dos direitos humanos pois atende também graves situações de violações que acabaram de ocorrer ou que ainda estão em curso, acionando os órgãos competentes, possibilitando o flagrante.


Fonte: SSP/SE