Sergipe

22/02/2019 às 14h52

Desocupação em Sergipe tem queda de 15%

IBGE/SE

A taxa de desocupação encerrou o ano de 2018 em 15,0%. Apesar do percentual elevado de pessoas desempregadas, o índice apresentou uma redução expressiva em relação ao trimestre imediatamente anterior (julho a setembro), quando a taxa ficou em 17,5%. Na comparação com o mesmo trimestre do ano anterior (outubro a dezembro de 2017), quando a taxa estava em 13,4%, o desemprego foi numericamente maior, embora estatisticamente a variação indique estabilidade. 

Para o ano de 2018, o resultado do quarto trimestre foi o melhor registrado, em parte porque o período registra um pico de contratações em virtude das festas de fim de ano. Considerando a média dos quatro trimestres, porém, o ano de 2018 em Sergipe aparece como o pior ano da série histórica da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD-C), que teve início em 2012. Considerando apenas o quarto trimestre de 2018, a taxa de desocupação em Sergipe é a quinta mais alta entre as 27 unidades da federação brasileiras. O estado com maior percentual de desempregados foi mais uma vez o Amapá (19,6%). As outras quatro posições são de estados da região Nordeste cujos territórios são contíguos: Bahia (17,4%), Alagoas (15,9%), Pernambuco (15,5%) e Sergipe (15,0%).

  A desocupação foi mais acentuada na Região Metropolitana de Aracaju (formada por Aracaju, Nossa Senhora do Socorro, São Cristóvão e Barra dos Coqueiros), onde a taxa do quarto trimestre ficou em 16,6%. Considerando apenas a capital, Aracaju, a desocupação ficou em 14,7%, abaixo, portanto, da taxa estadual. Essa distribuição é um indicativo de que há um percentual considerável de pessoas sem emprego nos municípios do entorno de Aracaju.

 


Fonte: IBGE/SE