Sergipe

30/01/2019 às 16h23

Combate à Hanseníase: campanha será realizada no HU neste sábado

HU/EBSERH

O Hospital Universitário da Universidade Federal de Sergipe (HU-UFS), filial da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), está envolvido em mais uma campanha do Ministério da Saúde. Trata-se do Janeiro Roxo, em alusão ao 28 de janeiro, Dia Nacional de Combate e Prevenção da Hanseníase.

Por meio de uma iniciativa da Sociedade Brasileira de Dermatologia Regional Sergipe (SBD-SE), em parceria com o HU-UFS e Secretaria de Estado da Saúde (SES), serão promovidas palestras e triagem para diagnóstico da doença durante a II Campanha de Combate à Hanseníase, que tem à frente as dermatologistas do HU-UFS, Ana Luíza Furtado e Martha Débora Lira.

O evento ocorrerá no dia 2 de fevereiro, das 8h às 12h, no Hospital Universitário, em Aracaju. Além de dermatologistas, também estão envolvidos na campanha estudantes de medicina. É o que relata Martha Lira, que responde pela presidência da SBD-SE. “A Liga Acadêmica de Dermatologia de Sergipe da UFS também participará da ação, que funcionará como projeto de extensão para esses alunos, fortalecendo a área de ensino e pesquisa”, reforça

Para as palestras, não haverá restrição de número de participantes. Já para a triagem, serão 150 atendimentos. A informação é da dermatologista Ana Luíza Furtado, do HU-UFS. “Em Aracaju, serão sete dermatologistas atuando, seis estudantes de graduação e quatro residentes de dermatologia, prontos para atendimento a esses casos”, detalha.

Apenas hanseníase

Ana Luíza reforça que esta campanha é específica para a hanseníase. “Só devem comparecer as pessoas que acham que têm a doença, ou mesmo que queiram entender mais sobre a patologia. Manchas esbranquiçadas ou avermelhadas pelo corpo, com perda da sensibilidade no local e perda de sensibilidade em mãos ou pés são fatores que devem chamar a atenção”, explica.

Para o atendimento, é preciso levar identidade e cartão do Sistema Único de Saúde (SUS). No local, haverá uma triagem e um atendimento para confirmação, ou não, de diagnóstico. Aqueles que tiverem a doença serão encaminhados ao próprio serviço de dermatologia do HU ou, se for o caso, ao posto de saúde de sua região.

O tratamento para a hanseníase é fornecido pelo SUS e pode ter duração de seis a 12 meses, dependendo do quadro. São comprimidos que devem ser tomados mensalmente na unidade básica de saúde e diariamente em casa. A doença tem cura, mas exige tratamento adequado.


Fonte: HU/EBSERH