Sergipe

18/01/2019 às 11h11

Cidadãos sem acesso à internet tem chance de participar do sorteio para as 1000 unidades residenciais

Assessoria

Atendimentos serão realizados de 21 de janeiro a 1º de fevereiro no Ginásio do Sesi

A fim de garantir que todos os cidadãos socorrenses interessados em participar do sorteio para as 1000 unidades residenciais que estão sendo construídas no município, através do Programa Minha Casa, Minha Vida, tenham chances reais de concorrer a Prefeitura de Nossa Senhora do Socorro, por meio das secretarias municipais de Planejamento (Seplan) e da Assistência Social (SMAS), iniciarão na próxima segunda-feira, 21, o cadastramento presencial EXCLUSIVAMENTE para os cidadãos que não possuem acesso à internet.

Os atendimentos serão realizados no Ginásio do Sesi, a partir das 08h, e a ordem dos atendimentos será garantida pela distribuíção de senhas, que acontecerá até às 09h. É importante salientar que mesmo presencialmente, o cadastro continuará sendo realizado exclusivamente através do site “Nossa Casa Socorro”. A seleção será efetuada através desse cadastro e apenas cidadãos que residem em Nossa Senhora do Socorro e com renda mensal entre R$ 0 a R$ 1.800 poderão se inscrever. O valor a ser pago dependerá da renda de cada família e irá variar entre R$ 80 e R$ 270 para efetuar a aquisição dos imóveis.

Critérios
Para seleção dos candidatos, serão observados os critérios nacionais, estabelecidos na Portaria n° 412 de 06 de agosto de 2015 do Ministério das Cidades, que beneficiarão:
Famílias residentes em áreas de risco, reconhecidas pelo ente público (município);
Famílias com mulheres responsáveis pela unidade familiar;
Famílias de que façam parte pessoa (s) com deficiência, comprovado com a apresentação de laudo médico.
De forma a complementar aos critérios nacionais, os critérios adicionais a serem utilizados pelo Município de Nossa senhora do Socorro para seleção dos candidatos são:
Famílias beneficiadas pelo Bolsa Família ou Benefício de Prestação continuada (BPC) no âmbito da Política de Assistência Social;
Famílias em atendimento de “aluguel social”.
Além disso, famílias de que façam parte pessoas com microcefalia, cadastradas no município, terão direito a uma casa, desde que atendam aos requisitos do programa “Minha Casa, Minha Vida”.
Serão reservados ainda 3% (três por cento) das unidades habitacionais para atendimento aos idosos e mais 3% (três por cento) em benefício de pessoas com deficiência ou de cuja família façam parte pessoas com deficiência.


Fonte: Assessoria