Sergipe

03/01/2019 às 18h03

SE registra menor taxa de homicídios dos últimos cinco anos

Ascom/SSP

Na manhã desta quinta-feira (3), a Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP/SE) apresentou em coletiva à imprensa um diagnóstico com detalhes e comparativos dos

Foto: Ascom/SSP
Crimes Violentos Letais Intencionais levantados pela Coordenadoria de Estatística e Análise Criminal (Ceacrim) da SSP. A taxa de homicídios em Sergipe vem reduzindo em grande quantidade a cada ano. Em 2018, o estado alcançou o menor número dos últimos cinco anos.

O número deste ano é o menor desde 2013, quando a média de homicídios foi de 2,7 por dia. Em 2018, até o dia 31 de dezembro foram registrados 945 crimes, o equivalente a uma média de 2,6. Em 2017, foram 1.121 (média de 3,1); em 2016, 1.306 homicídios (média de 3,6); em 2015, 1.196 crimes (média de 3,3); em 2014, foram registrados 999 (média 2,7); e, em 2013, foram 880 (média de 2,4). 

"Os números são positivos, entretanto não podemos nos conformar. Nossa meta é chegar a índices suportáveis para que a população reconheça o trabalho que vem sendo realizado e que a SSP passe a sensação de segurança tão esperada à população de Sergipe. Nós estamos há dois anos consecutivos com redução. A meta do Plano Nacional de Segurança Pública é a redução de 3,5 ao ano durante dez anos e nós estamos conseguindo trabalhar aqui em Sergipe acima de 15% de redução. Esse é o resultado de um trabalho realizado de forma integrada, porque não acredito em Segurança Pública atuando de forma individual", destacou João Eloy de Menezes, secretário da Segurança Pública do Estado de Sergipe.

Dentre os 365 dias de 2018, foram registrados 280 homicídios na capital, 183 na Região Metropolitana (sendo 90 em Socorro, 72 em São Cristóvão e 21 na Barra dos Coqueiros), além de 480 no interior do Estado. Apenas dois casos não foram identificados. O número do interior é o menor desde 2016, uma redução de 139 casos, o equivalente a 22,5%. Em comparação com 2017, a queda foi de 9,8%. E entre 2018 e 2015, os números caíram em 21,4%.

Na oportunidade, a delegada-geral da Polícia Civil, Katarina Feitosa, destacou a integração entre as Polícias e enfatizou o trabalho investigativo que tem sido desenvolvido em Sergipe para alcançar a mencionada redução. "No âmbito da Polícia Civil, houve um investimento na área de inteligência. Além disso, estamos trabalhando as investigações de forma compartilhada, com reuniões semanais também dentro do gabinete da delegacia geral com os departamentos, especialmente o Departamento de Narcóticos (Denarc), o Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) e o Complexo de Operações Especiais (Cope). O objetivo é justamente alinharmos as informações para trabalhar no combate à criminalidade, incluindo a redução do número de homicídios. Outro ponto importante é o trabalho integrado realizado entre a Polícia Civil e a Polícia Militar, pontuou.

Latrocínios

De 1º de janeiro a 31 de dezembro de 2018 foram contabilizados 30 latrocínios no estado. A partir disso, o Ceacrim apontou uma redução de 49,2% em relação a 2017. Comparando com 2016, houve uma queda de 38,8% e, de 2018 para 2015, o número caiu  36,2%.

"O nosso foco também é o latrocínio, porque é uma modalidade criminosa que nos incomoda bastante. Imagine a pessoa perder a vida por causa de um bem material que ela tem. Então, esses números estão sendo reduzidos e pretendemos reduzir ainda mais. No cenário geral, a integração entre os órgãos da SSP tem possibilitado esse resultado satisfatório. Esse caminho que nós estamos seguindo já há quase três anos vai continuar e será melhor aperfeiçoado para alcançarmos um estado com baixos índices de violência", frisou o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Marcony Cabral.

Para encerrar a apresentação à imprensa, Sidney Teles, coordenador do Ceacrim, pontuou sobre as cidades com maiores reduções observadas. Os municípios de Aracaju, São Cristóvão, Barra dos Coqueiros e Itabaiana foram as regiões com maior destaque de redução no número de homicídios em 2018, em relação aos registros computados em 2017. No caso de latrocínio, quebramos uma linha de tendência de aumento de 14% anual e conseguimos em dois anos consecutivos redução. Alcançamos no ano passado uma redução de quase 50% em relação aos casos de 2017", finalizou.


Fonte: Ascom/SSP