Sergipe

08/11/2018 às 12h37

Polícia Civil prende ex-presidiário por roubo de celulares em Umbaúba

SSP/SE

A Polícia Civil de Sergipe prendeu o ex-presidiário Alceu Eloi  Ramos Neto, de 20 anos, na tarde da quarta-feira, 7, no município de Umbaúba, após este fingir estar armado e realizar uma série de roubos de celulares na cidade. Depois dos crimes, uma das vítimas acionou policiais civis que circulavam pelas ruas umbaubenses, e estes prontamente levantaram informações sobre o autor, localizando-o na sua própria residência, onde o homem recebeu voz de prisão.

O caso foi encaminhado à Delegacia de Umbaúba e, após interrogatório ao preso, os policiais seguiram em diligências, recuperando os celulares subtraídos das vítimas e apreendendo a moto sem placa usada nos roubos. Durante as diligências, Alceu permaneceu algemado na Sala de Custódia da delegacia, onde foi ouvido e passou detalhes sobre os delitos. Aproveitando a breve saída dos policiais civis da sala, o infrator quebrou as algemas e arrombou a porta de um local onde bens estavam custodiados. Neste espaço, o preso quebrou objetos, subtraiu armas brancas e passou a ameaçar todos que estavam na unidade policial.

 

Gerb

Diante do ocorrido, o homem foi isolado na sala e o Grupo Especial de Repressão e Busca (Gerb) acionado. Usando da negociação de alternativas táticas, o Gerb chegou à rendição do acusado, que foi encaminhado a uma das celas do local. Segundo o delegado Paulo Cristiano, da Delegacia de Umbaúba, Alceu será ouvido nesta quinta-feira, 8, e a sua prisão preventiva solicitada à Justiça. Em decorrência do ocorrido na delegacia, o homem deve responder pelos crimes de roubo, desacato, resistência, dano qualificado e ameaça. A família do preso se comprometeu em cobrir os danos materiais causados pelo jovem.

De acordo com levantamentos, o rapaz já responde por tentativa de homicídio contra a própria mãe, desacato e tentativa de homicídio contra militares, disparo acidental e violência doméstica. Ainda segundo informações policiais, Alceu estava em liberdade provisória há cerca de oito meses.


Fonte: SSP/SE