Sergipe

15/10/2018 às 16h34

Estiagem causa queda na produção da cana-de-açúcar em Sergipe

Ascom/Serviço Nacional de Aprendizagem Rural

A produção da cana-de-açúcar é uma das principais atividades econômicas de Sergipe, que é o sétimo produtor de cana-de-açúcar no Nordeste com 1.718.787 toneladas. A

Serviço Nacional de Aprendizagem Rural
estimativa de produção para o ano safra 2018/2019 está em torno de 2.250.000 de toneladas, mas com a estiagem a produção pode diminuir.

Segundo a Associação dos Plantadores de Cana de Sergipe (ASPLANA), os produtores já estão preocupados com a próxima safra, se não chover nos próximos meses.

“A região canavieira do estado está sentindo os impactos da falta de chuvas nos canaviais, as áreas de plantio estão apresentando um desenvolvimento vegetativo lento, o que influencia na colheita e longevidade do canavial. As áreas de socaria reduziram seu potencial produtivo, deverão ter um rendimento abaixo do esperado. A preocupação é para a próxima safra, caso não ocorram chuvas nos próximos meses, deverá ter um impacto negativo em 2019/2020”. explica o Engenheiro Agrônomo da ASPLANA, Helber Rodrigues.

A cultura da cana-de-açúcar possui grande importância econômica no estado, pois além de empregar grande número de pessoas com baixa escolaridade antes absorvidas no setor de construção civil, movimentam a economia das cidades produtoras da cultura no estado. Sergipe conta com cinco unidades industriais, sendo que duas produzem açúcar, etanol e energia (Usina São José do Pinheiro e Taquari), duas produzem Etanol e Energia (UTE - Iolando Leite e Campo Lindo) e uma produz etanol e aguardente (Usina Junco Novo).

Preço da tonelada

O preço da tonelada da cana-de-açúcar é baseado no mix do etanol e açúcar cristal comercializados no mercado interno e externo e calculado por equação elaborado e realizado pela Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ), que oferece um índice mensal. O Conselho dos Produtores de cana de açúcar e etanol dos estados de Alagoas e Sergipe CONSECANA AL/SE é o responsável por transmitir esse índice mensal, o qual é multiplicado pelo açúcar total recuperável da cana colhida, desta forma obtém o da tonelada de cana.

Na safra 2017/2018 houve uma redução nos preços do açúcar cristal e comercialização no exterior, isso causou uma redução média de R$30,00 por tonelada em comparação à safra anterior. “Estimamos uma reação do preço da tonelada por conta da comercialização do etanol, visto que, este ano será um ano voltado para produção do etanol”, afirmou Helber.

Estiagem A Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Sergipe (Faese) explica que a estiagem vem afetando não só a produção de milho como também a produção de cana-de-açúcar.

“A região Nordeste já foi destaque na produção de cana no Brasil, porém por conta das condições climáticas e econômicas o Nordeste bem perdendo produção. A falta de chuvas culminou na redução de produtividade, qualidade e rendimento dos canaviais. Os problemas econômicos de muitas usinas motivou desemprego e falência das unidades industriais”, afirma o presidente da Faese, Ivan Sobral.


Fonte: Ascom/Serviço Nacional de Aprendizagem Rural