Sergipe

02/10/2018 às 10h27

Fundat cadastra instrutores para ministrar cursos de qualificação profissional

Agência Aracaju de Notícias

Para levar cada vez mais opções de qualificação aos aracajuanos, a Prefeitura de Aracaju buscar sempre ampliar as áreas dos cursos e capacitações ofertadas. A Fundação Municipal de Formação para o Trabalho (Fundat), por meio da Diretoria de Formação Profissional (Dirfop), realiza frequentemente a inscrição de profissionais interessados em trabalhar como docente dos cursos livres oferecidos pela instituição.

O portfólio de cursos seguem os seguintes eixos: Gestão de Negócios, Desenvolvimento Social e Educacional, Informação e Comunicação, Ambiente e Saúde; Produção Cultural e Design; Produção Alimentícia; e Infraestrutura.

Para se disponibilizar como instrutor de cursos, o cadastro do currículo pode ser feito na Diretoria de Formação Profissional, de segunda a sexta, das 8h às 12h e das 14h às 16h30, na sede da Fundat, localizada na rua Pacatuba, 104, Centro de Aracaju.

No ato da inscrição é necessário apresentar os seguintes documentos: currículo atualizado, RG, CPF (original e cópia autenticada), PIS/PASEP, título de eleitor, comprovante de residência com CEP, dados bancários, certificado de habilitação profissional (autenticado), e certificado de nível superior quando graduado (autenticado).

De acordo com o presidente da Fundat, Jorge Araújo, a instituição oferece um portfólio de cursos que estão alinhados com a demanda do mercado de trabalho. "Para isso, a gente tem que contar com instrutores capacitados e qualificados. Então, os cursos que nós oferecemos aos aracajuanos são de qualidade e de excelência. Além disso, realizamos um acompanhamento pedagógico muito bom tanto para docentes como para alunos", explicou.

Oportunidade

A Fundat atualmente conta com 427 instrutores disponíveis para ministrar aulas em mais de 80 cursos. Nesta gestão foram cadastrados 95 docentes, entre eles a professora de artesanato Maria de Lourdes Santos Lima, que realizou um curso de bordado em 2017 e depois se tornou instrutora.

"Eu já era artesã há muito tempo porque aprendi a costurar e fazer bordados com a minha família. Mas foi no curso de bolsas finas da Fundat que consegui aprimorar meu conhecimento empírico e aprendi novas técnicas. Durante o curso meu instrutor e a coordenação da UQP me incentivaram muito para me tornar uma docente da instituição".

Após a conclusão do curso a professora, Maria de Lourdes, cadastrou seu currículo. As peças foram avaliadas para comprovar sua originalidade, qualidade e acabamentos, e ela foi contratada. Maria já ministrou aulas para duas turmas nas Unidades de Qualificação e Produção (UQP) da Fundat.

"Quando eu cheguei na Fundat era um pouco tímida, mesmo para ensinar aquilo que eu sei há mais de quarenta anos, mas o acompanhamento do pessoal da fundação me ajudou a encorajar as aulas de artesanato. E me sinto realizada porque cheguei a fazer um curso por curiosidade e superei totalmente minhas expectativas".

Artesãos, como Maria de Lourdes, que desejam trabalhar no eixo de Produção Cultural e Design eles devem apresentar a Carteira Nacional de Artesão, emitida pelo Núcleo de Apoio ao Trabalho (NAT), e deve apresentar uma amostra do seu produto, para verificar acabamentos e qualidade da peça. Além da documentação exigida, é pré-requisito que o docente tenha uma carga horária de 300 horas ministradas.

Para a diretora de Formação Profissional, Selma França, é importante dar oportunidade a todos os docentes que estão cadastrados no banco de dados da fundação. "Nos fazemos um levantamento dos cursos que serão ofertados e depois selecionamos os docentes, sempre dando prioridade aos que ainda não foram oportunizados. A instituição realiza acompanhamento pedagógico do instrutor, bem como os alunos também avaliam o desempenho dele em sala de aula" enfatiza a diretora.

 


Fonte: Agência Aracaju de Notícias