Sergipe

25/09/2018 às 18h07

Operação Mutirão: criminosos praticavam queima de arquivo em Ribeirópolis

SSP/SE

A Polícia Civil detalhou na tarde desta terça-feira (25) as investigações sobre a Operação Mutirão, realizada no início da manhã na cidade de Ribeirópolis. A operação

Foto: Leonardo Barreto/ TV Atalaia
desarticulou um grupo criminoso envolvido com homicídios, tráfico de drogas e roubos na cidade de Ribeirópolis. Durante a coletiva, o delegado Eurico César Nascimento expôs que a motivação girava em torno de queima de arquivo.

A ação contou com policiais das delegacias de Ribeirópolis, Carira, Itabaiana, Grupo Especial de Repressão e Buscas (Gerb) e o Complexo de Operações Policiais Especiais (Cope). As investigações começaram há três meses, após o registro de um duplo homicídio no município.

De acordo com o delegado Eurico César, as motivações dos crimes giravam em torno de um processo de ocultação de testemunhas. “Qualquer pessoa que possivelmente pudesse dar informação à polícia e eles desconfiassem, matavam. Já para evitar testemunhas para a imprensa e para o Judiciário”, disse.

Na operação, foram cumpridos os mandados de prisão referentes a Thiago Cardoso Santos, Janiclésio Silva Mendonça, José dos Santos e Crislaine Santos. Na residência da acusada, foram encontrados entorpecentes e uma quantia em dinheiro. Ainda durante a ação, os acusados Renyson Costa Faria e Thiago Santos das Costas reagiram à prisão, entrando em confronto com a equipe policial, e morreram. Os dois indivíduos já tinham passagem criminal por outros delitos.

Ainda de acordo com o delegado que conduziu as investigações, a operação que carrega o nome do bairro base onde os suspeitos agiam, Mutirão, é fruto de uma tentativa de diminuir o índice de violência e consequentemente os homicídios que ocorreram no município.


Fonte: SSP/SE