Sergipe

21/09/2018 às 17h58

Hemose realiza doação de plaquetas por Aférese

Ascom/SES

A transfusão de plaquetas é bastante solicitada para conter sangramentos de pacientes em tratamentos oncológicos, leucemia e anemia aplástica. O Centro de Hemoterapia

Foto: Ascom/SES
de Sergipe (Hemose) realiza o processamento do hemocomponente através da bolsa de sangue total e da doação por Aférese, método em que é possível coletar até 600 ml somente de plaquetas. 

“O procedimento é muito parecido com a doação de sangue total. Neste caso, a diferença está no auxílio de um equipamento especial onde o doador é conectado através de punção venosa em um dos braços. Por centrifugação, a máquina separa o sangue e retira somente as plaquetas, devolvendo as outras células ao organismo desse doador. O sangue coletado vai para um Kit, material descartável e estéril”, informou o enfermeiro Reinaldo Melo. 

De acordo com o profissional através dessa modalidade de doação, é possível coletar até 600 ml somente de plaquetas, enquanto o sangue é devolvido para o organismo. “Com a doação por aférese é possível atender uma média de até cinco pacientes, dependendo da prescrição médica.  Vale lembrar que todo o processo tem uma duração de até 90 minutos, e em até 48 horas o organismo repõe as plaquetas doadas”, justificou. 

A técnica de laboratório do Hemose, Brenna Rayssa Porto, faz parte da lista de potenciais doadores de plaquetas por aférese. “É algo tão vital pera esses pacientes que precisam de nossa ajuda. Trabalhando aqui sei o quanto é importante a minha atitude e dos outros doadores fazer esse tipo de doação”, disse. 

Para ser apto a doação de plaquetas por aférese é preciso ser um doador de sangue regular, ou seja, o indivíduo que doa a cada três ou quatro meses, ter de 18 a 60 anos de idade, pesar acima de 60 quilos, possuir um bom acesso venoso e apresentar de 230 a 250 de contagem das plaquetas. 

Atendimento 

As plaquetas são responsáveis pela coagulação sanguínea. No geral, os médicos prescrevem a transfusão para atender pessoas portadoras de coagulopatias (distúrbios de coagulação – hemofílicos), que fazem radioterapia ou quimioterapia ou que sofrem com hemorragias graves e necessitam de grande quantidade desse hemocomponente para seu tratamento. Mais informações de como ser um doador, através dos telefones (79): 3225-8000, 3225-8039 e 3259-3174.

 


Fonte: Ascom/SES