Sergipe

23/08/2018 às 16h03

Almir do Picolé recebe a maior honraria do poder legislativo

Alese

Com a aprovação unânime dos 24 deputados estaduais do Poder Legislativo de Sergipe, o popularmente conhecido, “Almir do Picolé”, recebeu na manhã

Fotos: Jadilson Simões
desta quinta-feira, dia 23 de agosto, a maior honraria da Assembleia Legislativa de Sergipe (Alese) –  Medalha da Ordem do Mérito Parlamentar. A propositura da homenagem a Almir Almeida Paixão foi uma iniciativa do deputado Estadual, e então presidente da Casa Legislativa, Luciano Bispo, (MDB).

A entrega da Medalha da Ordem do Mérito emocionou profundamente ao homenageado. Do seu rosto, onde os traços de uma vida marcada por uma luta em favor de crianças carentes estão tecidos na face, desciam cálidas e densas lágrimas. 

Ovacionado

No ato da entrega da imponente Medalha de Mérito da Ordem Parlamentar, muitos aplausos da parte de todos os participantes. O cenário era de alegria geral no plenário, que foi marcado pelo som dos instrumentos da Orquestra da Polícia Militar. Enquanto uns sorriam em festa, outros se emocionavam com a emoção extravasada do Almir. O discurso oficial da solenidade da sessão especial foi narrado pela deputado estadual Ana Lula, que trouxe à baila um pouco da história triste e alegre vivida por Almir do Picolé. 

Para o presidente da Casa Legislativa, Luciano Bispo, a história de Almir é exemplo de amor e misericórdia ao próximo. “Essa assembleia fica muito honrada em homenageá-lo. Você faz tudo isso com muito amor e carinho. Sua honra se estende ainda como administrador que é, quando paga em dia todos os 27 funcionários da creche que você construiu com muito esforço. Você é uma pessoa muito bondosa e apesar da sua história, sabe perdoar. Você foi capaz de perdoar a sua mãe, e o perdão é um ato muito digno”, externou Luciano Bispo.

De acordo com o Almir, medalha de honraria da Assembleia Legislativa de Sergipe só aumenta a sua responsabilidade. “Eu estou feliz. Esse título já é o quinquagésimo que recebo desde que tive meu trabalho reconhecido por algumas instituições. Hoje aqui reconheço que a minha responsabilidade social com as minhas crianças, só cresce. Essa casa também me ajuda, às contribuições vem de todos deste Estado, sem exceção. Até as próprias crianças me ajudam, quando me veem no semáforo e colaboram pedindo a seus pais a doação”, contou todo orgulho.

A história de Almir do Picolé impacta. Constrange. É uma história de exemplo de amor ao próximo. Almir Almeida Paixão tem 48 anos, nasceu em outubro de 1969, no mês das crianças. Divorciado, é pai adotivo de uma menina, e biológico de um menino. “Minha vida é dedicada aos pobres, de domingo a domingo estou na obra, é um trabalho social que me alegra muito, pois faço de coração”, frisou em seu discurso.

Colhido em plena rodoviária com apenas cinco anos, cresceu no orfanato da capital no ano de 1974. “Fui abandonado na rodoviária velha. Minha mãe, confiando que a madrasta dela iria nos buscar na rodoviária, partiu rumo a São Paulo atrás de emprego. Nossa história, de luta pelas crianças, já foi

Foto: Jadilson Simões
recebida no Fantástico, no Faustão, e em vários programas por aqui. Quem não conhece o Almir do Picolé pedindo doações nos semáforos, não é?”, conta ele, transpassando um misto de alegria e sacrifícios.

Vaí um picolé aí?

Almir construiu um amor por crianças carentes por meio de um dom natural. Vislumbrou em ajudar crianças de ruas com seu trabalho, e saiu pelas ruas de Aracaju, entre a rodoviária velha e o bairro Siqueira Campos, vendendo picolé de frutas, daí o seu apelido popular: Almir do Picolé. “Eu aproveitava ali o meu trabalho e dava picolé para crianças, e com o dinheiro arrecadado das vendas, ajudava aos mais carentes. Comprava pão e dava a quem precisava”, lembra. 

Embora tenha em seu peito o dom natural de ajudar ao próximo, Almir revela sua inspiração: “Eu ando de sandália simples dos pés pois tenho como referência de caridade o padre Pedro, pois ele nasceu para servir os pobres”, disse. Cerca de 90 crianças hoje são assistidas pela creche do Almir, que funciona no município de Nossa Senhora de Socorro. “Eles gostam de estar mais na creche do que na casa de seus pais”, envaide-se.

Almir encerrou seu discurso agradecendo a homenagem dos deputados. “Que Deus abençoe a assembleia, tenho ajuda mensal para a creche de alguns deputados desta casa. Além da creche, que é um trabalho com quase 100 crianças, eu faço outras ações para ajudar a comunidade”, afirma, salientando que todas as doações que a Creche recebe vão para uma conta bancária, a qual é fiscalizada pelo Ministério Público.


Fonte: Alese