Sergipe

13/08/2018 às 06h42

Defesa Civil verifica áreas de descarte irregular de lixo e entulho no bairro Cidade Nova

Agência Aracaju de Notícias
Do alto do bairro Cidade Nova, na zona Norte de Aracaju, dá para ter uma leve noção do que pode vir a ser os dias de chuvas intensas, sobretudo devido ao descarte irregular de lixo e entulhos de construções. Por se tratar de uma área alta, inclusive com construções em locais de perigo, na qual a população tem expandido a área do bairro para localizações que ainda não receberam a infraestrutura necessária para ocupação, quando a chuva chega, os transtornos existem e pioram com o volume de rejeito despejado em local inadequado. Na manhã deste sábado, 11, a Defesa Civil de Aracaju, com o auxílio do Núcleo Comunitário da Defesa Civil (Nudec) e a Secretaria Municipal do Meio Ambiente, foram ao bairro para avaliar a situação e sensibilizar a população para os riscos que envolvem o descarte irregular de lixo e entulhos. 
 
A primeira atividade do grupo foi caminhar por algumas ruas do bairro e verificar os pontos mais chamativos. Junto ao Nudec, esse é um trabalho constante por parte da Defesa Civil que entende, inclusive, que é preciso, além da ação do poder público, a população também precisa fazer a sua parte. 
 
“A Defesa Civil conta com o Nudec, que são grupos de moradores voluntários das localidades que nos auxiliam no mapeamento dos riscos e quais são as intervenções necessárias. No bairro Cidade Nova, eles nos passaram a questão do descarte de resíduos de forma irregular, de modo a reduzir esse descarte, eles propuseram a ação de conscientização que, esperamos, tenha um ótimo resultado”, explicou o coordenador técnico da Defesa Civil, Robson Rabelo. 
 
Para um dos integrantes do Nudec do Cidade Nova, Edeval Oliveira, a educação é um item indispensável para mudar o cenário do bairro onde vive há 20 anos. “Se eu guardo meu lixo em casa e espero o caminhão do lixo passar, por que os outros moradores não podem fazer o mesmo? Cobrar do poder público a gente sempre cobra, mas, temos que fazer a nossa parte porque, nesse caso do lixo, só a população pode fazer algo de mais concreto com a conscientização”, ressaltou. 
 
Dona Luziete dos Santos, moradora do bairro há 14 anos, achou a ação necessária, apesar de afirmar que faz a sua parte. “Mesmo que não seja muita coisa, cuido do lixo da minha casa e não jogo na rua. A gente bem sabe o que passa quando chove e tem muito lixo na rua. O caminhão de lixo passa três vezes por semana por aqui e não vejo motivo para jogar lixo na rua”, destacou. 
 
Desde os 17 anos, Valter Bácio, hoje com 33, mora do bairro, apesar de já ter mudado de residência. Ele reconhece que os moradores precisam ajudar. “Eu mesmo vejo o pessoal jogando lixo em qualquer lugar direto. Depois as pessoas reclamam, mas, veja, é preciso pensar um pouco no que fazem para ajudar. Achei importante essa ação da Defesa Civil em passar de porta em porta”, considerou. 
 
De forma complementar, o grupo também verificou a situação de uma área que, mesmo tendo uma caixa coletora, já foi local de descarte irregular de lixo e entulho. “Viemos conferir de perto o que pode ser feito nesse local, como uma jardinagem, por exemplo. Ontem a Emsurb passou e fez a limpeza e hoje nós verificamos qual a melhor ação, se poderemos fazer uma pracinha, uma pintura e, assim, evitar que seja área de despejo irregular”, ressaltou Robson Rabelo. 

Fonte: Agência Aracaju de Notícias