Sergipe

21/05/2018 às 17h12

Membros da CPI da Saúde se chocam com situação do Hospital de Cirurgia

Redação Portal A8

Nesta segunda-feira, 21, os vereadores membros da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Saúde visitaram o Hospital de Cirurgia. Durante a vistoria na unidade, os

parlamentares ficaram impressionados com a situação. 

O presidente da comissão, vereador Seu Marcos (PHS), registrou sua opinião em seu perfil pessoal na rede social: “Os pacientes infartados não estão sendo atendidos e correm risco de vida, já que estão sendo encaminhados para casa. Se estas pessoas vierem a óbito quem irá se responsabilizar? Nenhuma medida está sendo tomada. Isso é desumano”, alertou. 

Assim como o vereador Seu Marcos, o vereador Isac (PC do B) compartilhou a crítica. “Saio do hospital ainda mais triste e mais angustiado. Não entendo como deixaram o hospital chegar a este ponto de não pagar médicos e colaboradores por vários meses e de faltar insumos para que os procedimentos comuns sejam realizados. Com esses problemas, diariamente, pessoas podem ir a óbito. Eu não vou aceitar que continuem fazendo isso com a população sergipana. O poder público vai ter que tomar uma atitude imediata”, disse. 

Aparelhos 

Além deles, o vereador Jason Neto (PDT) registrou uma preocupação com alguns aparelhos da unidade. “Fiquei preocupado com a quantidade de aparelhos encaixotados, tomógrafo, ressonância e outros, segundo a direção, o prédio está praticamente pronto, mas faltam R$ 3 milhões para instalar”, pontuou. 

De acordo com Jason, uma nova visita será marcada em virtude de não ter dado tempo de vistoriar todas as áreas do hospital. 

Direção 

Através de material da assessoria de comunicação do Hospital de Cirurgia, a direção destacou a visita como uma oportunidade de mostrar a realidade do local. “O Hospital é o ponto de resolutividade da rede pública de saúde do Estado de Sergipe, uma vez que é referência para a maioria dos serviços de alta complexidade no SUS, por isso, fizemos questão de mostrar qualidades, deficiências e o que estamos fazendo para contorna-las”, concluiu Milton Eduardo, diretor Administrativo e Financeiro.