Sergipe

08/05/2018 às 18h36

Sergipe registra 185 casos de sífilis em gestantes

Com informações do SES

Foto: SES

Em Sergipe, segundo a Secretaria de Estado da Saúde (SES), em 2017, foram notificados  477 casos da doença em gestantes e 318 em bebês – chamada de sífilis congênita, que é quando acontece a transmissão da enfermidade da mãe para o feto.

Já este ano ano, até o início do mês de maio, foram registrados 185 casos em gestantes e 76 em bebês. Diante do cenário, o infectologista da Secretaria de Estado da Saúde (SES), Marco Aurélio, faz um alerta para a população quanto à necessidade do uso do preservativo nas relações sexuais e também da importância do teste rápido, que detecta a sífilis.

“O número de casos de sífilis tem aumentado desde 2007 e isso é extremamente preocupante. Os dados mostram que a população, de uma maneira geral, não tem priorizado o uso do preservativo nas relações sexuais e que muitas gestantes não têm feito o teste rápido da sífilis durante o pré-natal na Atenção Primária, o que tem ocasionado também o crescimento da sífilis congênita. Como a sífilis é na maioria dos casos assintomática, a preocupação é maior ainda porque muitas pessoas têm a doença e não sabem. Por isso, fica o alerta para todos e a SES tem intensificado as ações de prevenção e controle da doença no Estado”, disse.

Dos casos registrados este ano em Sergipe, foram notificados em Aracaju 42 casos de sífilis em gestantes e dez congênita. No município de Nossa Senhora do Socorro, foram 29 e 15, respectivamente. Para o Ministério da Saúde, estes municípios têm prioridade na atenção à doença.

“A sífilis deve estar nas pautas dos gestores municipais e também nas dos profissionais da saúde em todo o Estado e prioritariamente em Aracaju e Socorro, por concentrarem a maioria dos casos da doença em Sergipe. A SES tem reforçado as ações junto às maternidades e a Atenção Primária dos municípios, e ampliado as testagens rápidas, mas é fundamental que toda a sociedade se conscientize sobre a importância do preservativo e do teste rápido da sífilis, principalmente no pré-natal”, comenta o infectologista.

 A doença é de fácil diagnóstico e tem cura.


Fonte: Com informações do SES